A relação entre o (neo)patrimonialismo e a sociedade civil no caso Collor

Thales Torres Quintãi

Resumo


Este trabalho tem como objetivo analisar as mobilizações pró-impeachment ocorridas no ano de 1992. Indaga-se de que forma a atuação da sociedade civil procurou romper com as forças patrimoniais durante a presidência de Fernando Collor. Para isso, esta pesquisa utilizou-se de duas frentes para o desenvolvimento de seus estudos: revisão bibliográfica sobre o tema do patrimonialismo brasileiro principalmente nos anos 90; e a análise de fontes secundárias -- documentos, atas e pronunciamentos de três entidades civis que participaram da campanha para a saída de Collor.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Habitus

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.