Circulações, trocas e identidades culturais: um estudo sobre os usos do espaço numa aldeia mbyá-guarani em Niterói, Rio de Janeiro

Amanda Alvez Migliora

Resumo


Buscamos com este artigo explorar as diferentes dinâmicas sociais em prática na aldeia Mbyá-Guarani Tekoá Mboy'ty, situada na Região Oceânica de Niterói, Rio de Janeiro. Em contexto urbano, as relações com aqueles a quem chamam de “juruás” (brancos) é praticamente inevitável, contudo, ao longo do trabalho de campo foi observado um intenso esforço de “preservar os costumes”, como eles mesmos dizem. Por diversos motivos que serão abordados no decorrer do texto, a arquitetura da aldeia e os elementos da cultura material do grupo constituem uma via especialmente profícua para a compreensão dos fenômenos em questão, as dinâmicas do sagrado e do profano, suas vinculações e significados no cotidiano destas pessoas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Habitus

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.