Determinismo e relativismo nas obras de Euclides da Cunha e Gilberto Freyre: duas concepções, duas realidades interpretativas acerca da temática racial do Brasil

Gustavo Martins do Carmo Miranda, Victor Augusto Araújo Silva

Resumo


O presente trabalho analisa a temática das relações raciais no Brasil a partir das obras de Euclides da Cunha e Gilberto Freyre. Partimos do pressuposto que a obra dos dois autores refletem períodos distintos do cenário sociopolítico brasileiro. Sendo assim, para analisar as implicações teóricas de ambos os trabalhos, é de suma importância entender a conjuntura do pensamento social brasileiro e suas influências perpassadas durante a segunda metade do século XIX e as primeiras décadas do século XX. Podemos afirmar que, comparativamente, em relação à temática das relações raciais, os autores se distanciam em pontos importantes presentes em suas obras. O determinismo biológico e geográfico de Euclides da Cunha é contraposto ao relativismo presente em Freyre.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Habitus

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.