Retórica distintiva no funk ostentação: o consumo conspícuo na produção cultural do jovem pobre

Felipe Eduardo Lázaro Braga

Resumo


O artigo faz um levantamento bibliográfico panorâmico acerca das principais tendências de investigação sociológica sobre a temática do consumo, ancorando-se principalmente nas teses de Veblen e sua defesa do consumo como uma tentativa de ostentar aos pares a posição social, bem como os escritos de Douglas que interpretam o consumo como um elemento de agregação de coletivos e identidades sociais. A partir dessa problematização, o artigo faz uma análise textual das letras do chamado “funk ostentação”, de modo a delimitar as características recorrentes e emblemáticas que identificam o estilo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Habitus

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.