Condição periférica: a internacionalização da sociologia brasileira e seus desafios

Edmar Machado Braga Filho

Resumo


Neste artigo, analisa-se a internacionalização da sociologia brasileira nos âmbitos da produção de artigos, dos meios nos quais eles circulam e da mobilidade internacional dos
sociólogos. Adotando um modelo que enfatiza a formação de centros e periferias na circulação internacional do conhecimento, o autor conclui que a produção sociológica brasileira é predominantemente nacional, tornando-a marginal frente aos grandes centros, por um lado, mas relevante, por outro, considerando os circuitos regionais de circulação. Defende-se, ao final, uma internacionalização que privilegie o intercâmbio entre comunidades científicas periféricas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Habitus

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.