Trazendo o sabão de volta à vida: discutindo natureza/cultura e substância/objeto à luz das ideia de Tim Ingold

Hugo de Carvalho Ferreira

Resumo


O presente artigo é inspirado nas ideias do antropólogo Tim Ingold. Na mesma direção de sua crítica ao modelo hilemórfico – onde os objetos são entendidos como a camada de cultura e forma dada pelo homem às substâncias, matéria bruta e natural – busca-se aqui fazer um exercício teórico tendo como exemplo o sabão: afinal, seria o sabão uma substância dada na
natureza, ou um objeto, parte da cultura material? Nesse sentido, em consonância com a linha teórica de Ingold, propõe-se uma compreensão do sabão enquanto uma coisa, pertencente ao mundo da vida e ao fluxo e movimento dos materiais.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Habitus

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.