Desenhando o Campo: Uma Experiência Etnográfica na Cinelândia, Rio de Janeiro.

Maria José de Amar Gomes da Silva

Resumo


Este ensaio busca explorar o uso do desenho enquanto metodologia principal para uma pesquisa antropológica
realizada em grupo. Utilizo como material empírico um trabalho de campo produzido por mim, entre maio e julho de 2016, em conjunto com outras duas graduandas em Ciências Sociais. Neste trabalho de campo, buscou-
se conhecer o entorno da Praça Floriano, localizada no centro do Rio de Janeiro, a partir do ponto de vista da escada do Palácio Pedro Ernesto. Dessa forma, o foco
desta pesquisa não é ser uma etnografia da Praça Floriano, mas explorar as possibilidades do desenho
enquanto metodologia para a antropologia. Para tanto, irei analisar, juntamente a uma bibliografia tanto da antropologia quanto de autores que trabalham o desenho como forma de conhecer: como ocorreu o processo de desenhar em campo, como foi a troca de informações entre as pesquisadoras envolvidas no trabalho e o que o desenho proporcionou em termos de descoberta.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Habitus

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.