Humor Ambulante: A dispositividade performática da venda nos vagões da Supervia.

Igor Mayworm Perrut

Resumo


Esse artigo busca explorar a discussão teórica existente entre crítica (WERNECK; LORETTI, 2012) e humor (TEUNE, 2007) por meio do estudo da performance de venda de ambulantes no ramal Santa Cruz do sistema de trens na cidade do Rio de Janeiro. Ao entender o papel do humor enquanto operador de sociabilidade, seu caráter explanatório e dispositivo é tido como responsável por, no caso estudado, fazer da venda uma manipulação criativa da forma crítica - afastando o debate acusatorial quanto a procedência dos produtos à venda; ao mesmo tempo que servindo de componente responsável por angariar simpatia e chamar a atenção dos passageiros. Buscamos enfatizar o quanto a crítica e suas línguas são formas indispensáveis para a compreensão das situações sociais que vivemos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Habitus

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.