Grupos femeninos en las cantigas de escarnio gallego-portuguesas

Araceli Luna Magariños

Resumo


A figura feminina é o eixo arrededor do qual se articulam os géneros amorosos na lírica trovadoresca galego-portuguesa. Em contraposição, no gênero satírico terá um menor protagonismo mas uma maior diversidade de representações. Neste texto analisar-se-á quais são os grupos femininos presentes nas composições das cantigas de escárnio, como se definem e se a pertença a um ou outro grupo determina um trato diferente. Os critérios para estabelecer os coletivos analisados foram o estrato social (nobreza ou condição baixa) e a ocupação (política, comércio, cuidado, espectáculo ou religião) se cruzando para definir os grupos conforme são mencionados nas composições. Muitas das mulheres às que se faz alusão nas cantigas de escárnio aparecerao, ademais, identificadas, podendo as relacionar com pessoas reais das que se possuem registros. Porém, a leitura deve ser cuidadosa sem esquecer que as cantigas são obras de ficção com uma pretensão lúdica.

Palavras-chave


Trovadorismo, Lírica galego-portuguesa, escárnio, mulheres

Texto completo:

PDF

Referências


BELTRÁN, Vicenç. Tipos y temas trovadorescos, XV. Johan Soarez Coelho y el ama de don Denis, Bulletin of Hispanic Studies, Liverpool, Vol. 75, n. 1, p. 13-45, 1998.

CORRAL, Esther. As mulleres nas cantigas medievais: Sada: Ed. do Castro, 1996.

CORRÊIA, ngela. O outro nome da ama. Uma polêmica suscitada pelo trovador Joam Soares Coelho, Cóloquio/Letras, Lisboa, n. 142, p. 51-64, 1996 .

DESCHNER, Karlheinz. Historia sexual del cristianismo. Zaragoza: Yalde, 1993.

DUBY, Georges - PERROT, Michelle. (dir.), Historia de las mujeres, II: La Edad Media. Madrid: Taurus, 1992.

LABARGE, Margaret Wade. La mujer en la Edad Media. Madrid: Nerea, 1988.

PALLARES, María del Carmen. A vida das mulleres na Galicia medieval (1100-1500). Santiago de Compostela: Biblioteca de divulgación, Universidade de Santiago de Compostela, 1993.

______ Historia das mulleres en Galicia. Idade Media. Santiago de Compostela: Nigratea, 2011.

PASTOR, Reyna. Para una historia social de la mujer hispano - medieval. Problemática y puntos de vista, en La condición de la mujer en la Edad media (Actas del coloquio celebrado en la Casa de Velázquez del 5 al 7 de noviembre de 1984), p. 187-214, Madrid: Casa de Velázquez, Universidad Complutense de Madrid, 1986.

PERNOUD, Régine. La mujer en el tiempo de las catedrales. Barcelona: Granica, 1987.

REY, Antonio. Parodia dos estamentos sociais nas cantigas satíricas galego-portuguesas medievais, Memoria de Licenciatura inédita. Santiago de Compostela: Universidade de Santiago de Compostela, 1994.

RUBIO, Marcial. La sátira contra las monjas en la Edad Media castellana, in NASCIMENTO, Aires Augusto, RIBEIRO, Cristina Almeida (eds.) Actas do IV Congresso da Associação Hispânica de Literatura Medieval, n. 3, p. 343-346. Lisboa: Edições Cosmos, 1993.

SANTOS, Dulce O. Amarante dos. Outros olhares sobre a jograria ibérica urbana (sécs. XIII-XIV), História Revista, Goiás, n. 5, p. 71-88, 2000.

SOUTO CABO, José António. Fernando Pais de Tamalhancos, trovador e cavaleiro, Revista de Literatura Medieval, Alcalá, n. 23, p. 231-267, 2012.

SOUZA, Risonete Batista de. A mulher nos cancioneiros medievais galego-portugueses: Maria Pérez, a Balteira, in MALEVAL, Maria do Amparo Tavares (Org.). Estudos Galegos 3. Niterói: EdUFF, p. 123-131, 2002.

VIEIRA, Yara Frateschi. O escândalo das amas e tecedeiras nos cancioneiros galego-portugueses, Cóloquio/Letras, Lisboa, n. 76, p. 18-27, 1983.

______ O processo da ama, passado e presente de uma polêmica trovadoresca, in BREA, Mercedes (coord.), Congreso Internacional "O Cancioneiro da Ajuda, cen anos despois". Santiago de Compostela: Xunta de Galicia, 2004, p. 79-98.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.