O HEDONISMO NA OBRA VIDAS E DOUTRINAS DOS FILÓSOFOS ILUSTRES DE DIÓGENES LAÉRCIO: OS CIRENAICOS E EPICURO

Markus Figueira da Silva

Resumo


Trata-se da análise crítica que opõe a apresentação do pensamento cirenaico no livro II da obra de Diógenes Laércio à apresentação do pensamento de Epicuro no livro X dessa mesma obra. Além das lacunas explicativas sobre o historiador e sua obra, pretendo mostrar o interesse do autor em evidenciar a grande importância do pensamento epicurista em detrimento do cirenaico, notadamente no que tange à questão do prazer e às diferenças específicas entre os dois tipos de hedonismo. Ao que parece, para Laércio, Epicuro recupera um sentido ético socrático para o prazer, o que não se encontra nem no pensamento de Aristipo, nem no dos seus seguidores. Entretanto, quando observado o texto, as semelhanças entre eles são mais evidentes que as diferenças. Em muitos aspectos Epicuro é bastante influenciado pelos cirenaicos, sobretudo em sua ética.


Palavras-chave


ética; hedonismo; cirenaicos; epicurismo; prazer

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26770/phoinix.v23.2.n5

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Markus Figueira da Silva

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADA POR

 
 
 
 
 
  
 

INSTITUCIONAL

Laboratório de História Antiga - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Largo de São Francisco, nº 1, sala 211 A - Centro, Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20051070 | Tel: +55 (21) 22210341, ramal 205 | www.lhia.historia.ufrj.br - laboratoriodehistoriaantiga@gmail.com