A EXPERIÊNCIA DO EXÍLIO: UMA FORMA DE CENSURA A INTELECTUAIS NA ANTIGUIDADE E NOS TEMPOS CONTEMPORÂNEOS

Sônia Regina Rebel de Araújo

Resumo


Há cinquenta anos instaurou-se uma ditadura militar no Brasil, que teve como um de seus piores aspectos a perseguição a intelectuais em geral e a professores universitários. Muitos desses professores amargaram o exílio e foram incorporados, em alguns poucos casos, a universidades estrangeiras. Dez anos antes, Moses Finley foi demitido dos quadros da Rutgers University, em Nova York, como resultado do macarthismo. De forma semelhante ao caso brasileiro, sua demissão resultou em exílio – neste caso um convite para lecionar em Cambridge, na Inglaterra. O exílio e o banimento foram formas comuns de afastar adversários ou opositores na Antiguidade. Exemplificarei com o processo sofrido por Apuleio de Madaura, no século II, relatado em seu texto Apologia.


Palavras-chave


Apuleio; censura na Antiguidade; exílio; guerra fria; macarthismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26770/phoinix.v21.1.n1

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Sônia Regina Rebel de Araújo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADA POR

 
 
 
 
 

INSTITUCIONAL

Laboratório de História Antiga - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Largo de São Francisco, nº 1, sala 211 A - Centro, Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20051070 | Tel: +55 (21) 22210341, ramal 205 | www.lhia.historia.ufrj.br - laboratoriodehistoriaantiga@gmail.com