RISO E ENCENAÇÃO NAS METAMORFOSES DE LÚCIO APULEIO

Autores

  • Luciane Munhoz de Omena Professora adjunta de História Antiga da Faculdade de História e do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Palavras-chave:

riso, encenação, poder, províncias gregas.

Resumo

A obra Metamorfoses de Lúcio Apuleio é uma narrativa que se situa no século II d. C., sendo os seus personagens acometidos pela degradação e, em alguns casos, pela regeneração, levando-os a situações risíveis. Em nosso documento, podem-se caracterizar duas variáveis do riso: uma é representada por personagens que possuem comportamentos sociais excessivos, a exemplo da avareza, e o outro é o riso sagrado. Neste trabalho, privilegiaremos o campo sagrado a partir de um festejo ao deus do Riso, com o objetivo de compreender as representações sociais de poder na cidade de Hípata, levando-se em consideração o riso sagrado, o qual atua como ato performático e como ato simbólico, e, por vincular-se a uma divindade, permite a busca, através dela, de ordenação e de equilíbrio social.

Downloads

Publicado

2020-07-24

Como Citar

DE OMENA, Luciane Munhoz. RISO E ENCENAÇÃO NAS METAMORFOSES DE LÚCIO APULEIO. PHOÎNIX, [S. l.], v. 18, n. 1, p. 76–97, 2020. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/phoinix/article/view/36463. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos