O OBSTÁCULO COMO SEGUNDA MORTE NOS TEXTOS DOS SARCÓFAGOS:CASO DE APEP COMO PERSONIFICAÇÃO DE INIMIGO

Catarina Apolinário de Almeida

Resumo


Apep é a serpente que diariamente ameaça o nascer do sol e, consequentemente, em contexto funerário, o renascimento do morto, que, ao integrar a comitiva da Barca Solar, assim alcança o ciclo cósmico que lhe garante a eternidade. O primeiro registo conhecido dessa criatura surge no Primeiro Período Intermediário, e nos Textos dos Sarcófagos do Império Médio dá-se um importante desenvolvimento simbólico. No presente artigo será analisado o papel e simbologia de Apep nesse corpus textual, com o objectivo de identificar as principais linhas que subjazem à sua conceptualização desde os estádios mais iniciais. Procurar-se-á compreender, especificamente, como na dimensão cósmico-mitológica egípcia se torna símbolo de inimigo.


Palavras-chave


Antigo Egipto; Textos dos Sarcófagos; Apep; segunda morte; inimigo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26770/phoinix.v26.1n01

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Catarina Apolinário de Almeida

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

INDEXADA POR

 
 
 
 
 

INSTITUCIONAL

Laboratório de História Antiga - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Largo de São Francisco, nº 1, sala 211 A - Centro, Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20051070 | Tel: +55 (21) 22210341, ramal 205 | www.lhia.historia.ufrj.br - laboratoriodehistoriaantiga@gmail.com