HÉCUBA: AS FORMAS DA DOR E A DOR QUE PEDE VINGANÇA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26770/phoinix.v29.n1a2

Palavras-chave:

Hécuba, mãe, dor, vingança, nómos.

Resumo

Associada à perda dos filhos, sendo mãe de muitos, Hécuba é a personagem épica e trágica que dá voz e forma ao sofrimento, passando do desejo de vingança à vingança de fato. “Nunca um dia sem gemido” (Eurípides. Hécuba, 692), a rainha troiana expressa de muitas maneiras o que a dor provoca. Na Ilíada, ela suplica a Heitor que entre na cidade, quando ele decide enfrentar Aquiles. A dor do pedido é realçada quando a rainha troiana mostra um dos seios (Homero. Ilíada, XXII, 80). Em seguida, porque o filho morre, e Aquiles quer mutilar o corpo já sem vida de Heitor, Hécuba deseja comer do assassino o fígado cru (Homero. Ilíada, XXIV, 212-213). Em Troianas de Eurípides, a rainha, como é o costume, bate na cabeça e no peito para expressar o que sente (Eurípides. Troianas, 793-795), depois que os aqueus arremessam seu neto do alto das muralhas. Em Hécuba, do mesmo autor, a rainha troiana se oferece à morte ao saber que não pode ser outro o destino de sua filha (Eurípides. Hécuba, 397): quer morrer com ela. Na mesma peça, a rainha recebe ainda a notícia da morte de seu caçula. Ela, agora, dá à dor nova forma, deixando cego e pai de filhos mortos o assassino de seu próprio filho (Eurípides. Hécuba, 1255). A mãe de muitos que muitos perde experimenta muitas formas da dor, as quais exploraremos neste artigo, até chegar ao ponto de realizar a vingança.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

Fontes

APOLLODORUS. The Library. English Translation by Sir James George Frazer. Cambridge: Harvard University Press, 1921.

CLAUDIUS AELIANUS. De natura animalium libri XVII. Varia historia, epistolae, fragmenta. Ed. R. Hercher. Leipzig: Teubner, 1866; 1971.

DIO CHRYSOSTOMUS. Orationes. Ed. J. Von Arnim. Berlin: Widmann, 1893; 1962.

EURÍPIDES. Duas tragédias gregas: Hécuba e Troianas. Tradução e introdução de C. Werner. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

EURIPIDES. Hecuba. Euripidis fabulae, v. 1. Ed. J. Diggle. Oxford: Oxford University Press, 1984.

EURIPIDES. Troiades. Euripidis fabulae, v. 2. Ed. J. Diggle. Oxford: Oxford University Press, 1981.

HERÓDOTO. História. Tradução do grego, Introdução e Notas de Mário da Gama Kury. Editora Universidade de Brasília, 1985.

HOMERO. Ilíada. Tradução de Frederico Lourenço. São Paulo: Penguin Classics; Companhia das Letras, 2013.

HOMERO. Odisseia. Tradução de Frederico Lourenço. São Paulo: Penguin Classics; Companhia das Letras, 2011.

Referências bibliográficas

BAKOGIANNI, A. (ed.) Dialogues with the past. Classical reception theory and practice. London: Institute pf Classical Studies, School of Advanced Study, 2013.

BOLGAR, R. R. The Classical Heritage and Its Beneficiaries. Cambridge: Cambridge University Press, 1973.

BURNETT, A. P. Hekabe the dog. Arethusa, v. 27, n. 2, p. 151-164, 1994.

FERREIRA, N. H. Apontamentos sobre a imagética animal na Hécuba de Eurípides: a caracterização do herói e o símbolo transversal da cadela e do lobo. Humanitas, v. 70, p. 9-23, 2017.

FOLEY, H. P. Euripides: Hecuba. Companions to Greek and Roman Tragedy. London: Bloomsbury, 2015.

FOLEY, H. P. Female acts in Greek Tragedy. Princeton: Princeton University Press, 2001.

HARRIS, W. Restraining Rage: the ideology pf Anger Control in Classical Antiquity. Cambridge, Massachusetts, London: Harvard University Press, 2004.

LLOYD, M. The Agon in Euripides. Oxford: Clarendon Press, 1992.

MALTA, André. A selvagem perdição: erro e ruína na Ilíada. São Paulo: Odysseus Editora, 2006.

MOSSMAN, J. Wild justice: a study of Euripides’ Hecuba. Oxford: Clarendon Press, 1995.

NUSSBAUM, M. C. The fragility of goodness: luck and ethics in Greek tragedy and philosophy. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

RODRÍGUEZ, Cidre E. Cautivas Troyanas. El mundo femenino fragmentado en las tragedias de Eurípides. Córdoba: Ediciones El copista, 2010.

THALMANN, W. G. Euripides and Aeschylus: The Case of the "Hekabe". Classical Antiquity, v. 12, n. 1, p. 126-159, Apr., 1993.

VERNANT, Jean-Pierre. La belle mort et le cadavre outragé. In: V VERNANT, Jean-Pierre. L’individu, la mort, l’amour. Soi-même et l’autre en Grèce Ancienne. Paris: Éditions Gallimard, 1989.

Downloads

Publicado

2023-05-17

Como Citar

LOPES, Lorena. HÉCUBA: AS FORMAS DA DOR E A DOR QUE PEDE VINGANÇA. PHOÎNIX, [S. l.], v. 29, n. 1, p. 30–42, 2023. DOI: 10.26770/phoinix.v29.n1a2. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/phoinix/article/view/49045. Acesso em: 14 jun. 2024.