A MEMÓRIA ENQUANTO RECURSO PEDAGÓGICO NO BANQUETE DE PLATÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26770/phoinix.v29n2a2

Palavras-chave:

Banquete, Platão, Memória, Educação, Atenas

Resumo

O diálogo Banquete, escrito por volta de 384 a.C., está entre as obras mais conhecidas do filósofo Platão e versa a respeito de Eros e do amor homoerótico masculino praticado em Atenas durante o período clássico. O contexto escolhido pelo filósofo para ambientar sua obra foi um jantar ocorrido na casa do poeta Agatão em comemoração à sua vitória em um concurso de tragédias no ano de 416 a.C. O objetivo deste artigo é analisar como Platão utiliza a memória enquanto um recurso pedagógico no Banquete para a exposição de seus valores acerca do relacionamento entre erastés e erómenos. Para isso, realizamos um debate bibliográfico sobre o conceito de memória e, em seguida, nos dedicamos à análise da maneira como Platão converte a memória em um instrumento educativo para expressar seu pensamento aos seus leitores.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BIBLIOGRAFIA

DOCUMENTAÇÃO TEXTUAL:

DIOGENES LAERTIUS. Lives of Eminent Philosophers. Vol. 1 (Books I-V). Trad: Robert Drew Hicks. Cambridge/ London: Harvard University Press/ William Heinemann, 1925.

DIOGENES LAERTIUS. Lives of Eminent Philosophers. Vol. 2 (Books VI-X). Trad: Robert Drew Hicks. Cambridge/ London: Harvard University Press/ William Heinemann, 1925.

DIÔGENES LAÊRTIOS. Vidas e doutrinas dos filósofos ilustres. Trad: Mário da Gama Kury. Brasília: Universidade de Brasília, 2008.

PLATÃO. O Banquete. Trad: Irley F. Franco e Jaa Torrano. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2021.

PLATON. Le Banquet. Trad: Léon Robin. Paris: Les Belles Lettres, 1951.

_______. Le Sophiste. Trad. Auguste Diès. Paris: Les Belles Lettres, 1985.

________. Protagoras. Trad: A Croiset. Paris: Les Belles Lettres, 2002.

_______. Théétète. Trad. Auguste Diès. Paris: Les Belles Lettres, 1950.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

BENJAMIN, Walter. O narrador – Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: ________. Magia e Técnica, Arte e Política: Ensaios sobre Literatura e História da Cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 197 – 221.

BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

DETIENNE, Marcel. A cidade defendida por seus mitólogos. In:______. A invenção da mitologia. Rio de Janeiro: José Olympio; Brasília: UNB, 1998. p.151-184.

GEARY, Patrick. Memória. In: LE GOFF, Jaccques. SCHMITT; Jean-Claude. (orgs.). Dicionário Temático do Ocidente Medieval. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado, 2002. p. 167-181.

GONDAR, Jô. Lembrar e esquecer: desejo da memória. In: COSTA, Icléia T. M; GONDAR, Jô (org.). Memória e Espaço. Rio de Janeiro: Sete Letras, 2000. p. 35 -43.

LE GOFF, Jacques. Memória. In: ____________. História e Memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996. p. 423 – 483.

GRIMAL, Pierre. Eros. In: Dicionário da Mitologia Grega e Romana. Lisboa: DIFEL; Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992. p.148-149.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.

JAEGER, Werner Wilhelm. Sócrates. In:______. Paidéia: Formação do Homem Grego. São Paulo: Martins Fontes, 1986. p.343-400.

PAVIANI, Jayme. A característica dos processos dialéticos. In:_______. Filosofia e Método em Platão. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2001. p.45-84.

PERRY, Marvin. Os gregos: do mito à razão. In: _____________. Civilização Ocidental: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 1999. p. 42 – 69.

QUADROS, Elton Moreira. Platão e a questão da memória: uma leitura ricoeurniana. Anais do XI Colóquio do Museu Pedagógico, Vol. 11, nº1 (2015), p.443-457. ISSN: 2175-5493. Disponível em: http://anais.uesb.br/index.php/cmp/article/viewFile/4937/4740 Acesso em 02/09/2016.

RICOEUR, Paul. Memória e Imaginação. In:______. A memória, a história, o esquecimento. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2010. p.25-70.

SANTORO, Fernando. Erótica. In: ___________. Arqueologia dos Prazeres. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007. p. 77 – 142.

SILVA, Kalina Vanderlei; SILVA, Maciel Henrique. Memória. In:______. Dicionário de Conceitos Históricos. São Paulo: Contexto, 2005. p.275-279.

SILVEIRA, Ronie Alexsandro T. da. Memória e escrita de Fedro de Platão. Caderno de Atas da Primeira Reunião da Sociedade Brasileira de Platonistas (ANPOF), Suplemento ao Boletim do CPA, n. 10 - ago/set-2000, p. 141-149. Disponível em http://www.puc-rio.br/parcerias/sbp/pdf/21-roniealex.pdf Acesso em 02/09/2016.

SOUSA, Luana Neres de. As relações pederásticas em Atenas no período clássico: uma análise do Banquete de Platão e de Xenofonte. Orientadora: Ana Teresa Marques Gonçalves. 2013. Tese (Doutorado) - Programa de Pós Graduação em História da UFG. Goiânia, 17/05/2013. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/113/o/T2013-07.pdf. Acesso em 18/02/2022.

SVENBRO, Jesper. A Grécia Arcaica e Clássica: A invenção da leitura silenciosa. In: CAVALLO, Guglielmo; CHARTIER, Roger (Orgs.). História da Leitura no Mundo Ocidental. São Paulo: Ática, 1998. p. 41-69.

VERNANT, Jean-Pierre. Aspectos míticos da memória e do tempo. In:______. Mito e pensamento entre os gregos: estudos de psicologia histórica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990. p.135-185.

Downloads

Publicado

2023-11-27

Como Citar

NERES DE SOUSA, Luana. A MEMÓRIA ENQUANTO RECURSO PEDAGÓGICO NO BANQUETE DE PLATÃO. PHOÎNIX, [S. l.], v. 29, n. 2, p. 45–57, 2023. DOI: 10.26770/phoinix.v29n2a2. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/phoinix/article/view/61987. Acesso em: 16 jul. 2024.