Dinâmicas de produção do espaço urbano na perspectiva da informalidade e pobreza urbanas

Luiz Adriano Guevane

Resumo


O presente trabalho objetiva a análise da produção do espaço urbano em África e, particularmente, na África Subsaariana, relacionando pobreza e informalidade, a partir das similaridades entre as cidades de Dakar (no Senegal, com referência para Yeumbeul), Bissau, as do Gana e da Nigéria, especificamente Lagos, e a cidade de Maputo, capital da República de Moçambique. A metodologia consistiu na pesquisa bibliográfica e, por essa via, na escolha de algumas cidades africanas, combinando a vivência e o conhecimento existente sobre a cidade de Maputo. Os níveis e as escalas de produção do espaço urbano constituíram importante suporte na análise em causa. É a partir do desenvolvimento das cidades visadas neste estudo, no período colonial, no quadro da diferenciação sócio-espacial que se iniciam as relações entre a pobreza e a informalidade urbanas, tendo estas se tornado mais evidentes, em termos de extensão e persistência, no período pós-independência pelo peso dos desafios políticos combinados com o fraco nível de desenvolvimento económico. Nessas relações, a informalidade não teve a pobreza como única explicação.

Palavras-chave


Produção do espaço urbano; Pobreza; Informalidade; Gestão urbana.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 AbeÁfrica: Revista da Associação Brasileira de Estudos Africanos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

AbeÁfrica: revista da associação brasileira de estudos africanos, ISSN 2596-0873

 

Indexadores: