Marchas e discursos, nós e praças - Estética, política e publicização depois da Primavera Árabe

Andrew Stefan Weiner

Resumo


A expressão Primavera Árabe designa um movimento variado e muitas vezes contraditório que se espalhou por diversos países árabes em 2011, levando a mudanças de governo em muitos deles. Seus desdobramentos ainda são imprevisíveis em muitos países, levando ora a uma abertura democrática, ora a um recrudescimento da opressão. Seus desdobramentos estéticos, apoiando-se no pensamento ‘estético-político' do filósofo Jacques Rancière, tampouco são definidos ou facilmente rastreáveis. O autor se propõe a mapear e a analisar as implicações desse contexto na produção artística recente dos países árabes analisando algumas obras emblemáticas relacionadas a tal evento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 CC Atribuição 4.0

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.