Internacionalização da arte brasileira a partir dos anos 1980 e a construção de Hélio Oiticica e Lygia Clark como referenciais canônicos dessa produção artística

Daniela Labra

Resumo


No final dos anos 80, exposições coletivas institucionais de arte brasileira contemporânea, na Europa e nos Estados Unidos, impulsionaram a internacionalização e a construção de uma visão crítica estrangeira dessa produção. O reconhecimento da originalidade de Hélio Oiticica e Lygia Clark os tornará, no meio internacional, influências inescapáveis, míticas e quase obrigatórias para os artistas brasileiros contemporâneos em geral.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.37235/ae.n33.11081

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 CC Atribuição 4.0

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 
 Revista arte e ensaios

e-ISSN: 2448-3