David X Apolo: a história da arte entre uma cópia e uma escultura de jardim.

Diego Souza de Paiva

Resumo


O presente ensaio parte da proximidade entre uma cópia do David de Michelangelo e uma escultura de jardim representando Apolo Caçador, no Instituto Ricardo Brennand, em Recife/PE, para pôr em questão ambiguidades formais do David de Michelangelo, discutidas a parte da tese de Sergio Risaliti e Francesco Vossila sobre o “outro David”.


Texto completo:

PDF

Referências


FERNANDES, José Carlos. O rejeitado do Champagnat. Gazeta do Povo. Curitiba, 25 jul. 2009.

GAYE, Johann Wilhelm. Carteggio Inedito D'artisti dei secoli XIV, XV, XVI. 3 vol. Firenze, 1840, vol. II, p. 454-476.

MALTA, Marize. Anões de jardim, objetos do mal e o lugar de não coleções. XXIV Encontro da Associação Nacional dos Pesquisadores em Artes Plásticas -- Compartilhamento na Arte: Redes e Conexões -- Anais... Santa Maria/RS -- de 22 a 26 de setembro de 2015, p. 2123 -- 2138.

RISALITI, Sergio; VOSSILLA, Francesco. L'altro David. Firenze: Cult Editore, 2010a.

WITTKOWER, Rudolf. Michelangelo, In:______. Escultura. Tradução Jefferson Luiz Camargo. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.




DOI: https://doi.org/10.37235/ae.n35.15274

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 CC Atribuição 4.0

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.