No limiar de um trompe-l'oeil pós-moderno: o confronto sociopolítico entre a pintura erudita e a arte urbana

Renata Gesomino

Resumo


Há um momento importante de transição ou passagem de nosso modernismo para o pós-modernismo nas artes visuais, em que a visualidade dos meios plásticos, sobretudo, os meios da pintura começaram a ser amplamente questionadas. Tais questionamentos podem ser exemplificados pelas experimentações mais conceituais de Hélio oiticica e lygia Clark, por exemplo. importa abordar alguns princípios teóricos como os elaborados na Teoria do não objeto, de Ferreira Gullar. O crítico e poeta anunciou as modificações no campo pictórico por meio da “morte da pintura”, mais precisamente, da moldura enquanto convenção ou de sua canonização nas amarras do cavalete. apelava-se para a mente e para os sentidos  na tentativa de apreensão das relações entre o observador e o “(não) objeto”, constituído em função do espaço, em função do mundo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 CC Atribuição 4.0

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.