Como expandir o mundo a cada vez que o reduzimos: a criação dos intervalos por uma metodologia da constelação

Mayana Redin

Resumo


Este ensaio propõe um entendimento da metáfora da Constelação, presente na teoria epistemológica de Walter Benjamin em relação à arte. Com o objetivo de se pensar sobre as condições intervalares da arte contemporânea, o ensaio se constrói através da observação de obras e ideias que comentam as condições do existencial.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 CC Atribuição 4.0

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.