“AQUI ESTÁ A OPÇÃO DO TERCEIRO MUNDO: UM FUTURO ABERTO OU A MISÉRIA ETERNA”. REFLEXÕES SOBRE A OBRA TARDIA DE MÁRIO PEDROSA / “Here is the Third World option: an open future or eternal misery”: reflections on Mário Pedrosa's late work

Luiza Mader Paladino

Resumo


A filósofa Otília Arantes nomeou O ponto de vista latino-americano o corpus crítico de Mário Pedrosa produzido após o desterro chileno, durante o governo de Salvador Allende (1970-1973). Nesse conjunto de textos, observa-se a recuperação de tradições que não haviam sido capturadas pela historiografia oficial, como as práticas e os saberes oriundos da cultura popular e indígena. Essa interpretação pode ser identificada em obras como Discurso aos Tupiniquins ou Nambás e Teses para o Terceiro Mundo, nas quais o crítico se amparou em um repertório terceiro-mundista partilhado no exílio. O autor exaltou uma leitura ancorada na inversão geopolítica, a qual localizou nos países situados ao sul uma fagulha revolucionária capaz de deflagrar a almejada transformação social e econômica. Essas obras-manifesto sintetizaram praticamente todo o discurso crítico, político e museológico que Pedrosa sustentou ao voltar para o Brasil, em 1977.

Palavras-chave: Exílio; Terceiro Mundo; Arte latino-americana; Mário Pedrosa; Arte popular.

 

Abstract


The philosopher Otília Arantes named The critical corpus of Mário Pedrosa produced after the Chilean exile during the Salvador Allende government (1970-1973) from The Latin American Spot. In this set of texts, there is a recovery of traditions that had not been captured by official historiography, such as the practices and knowledge derived from popular and indigenous culture. This interpretation can be identified in works such as Speech to the Tupiniquins or Nambás and Theses for the Third World, in which the critic relied on a shared Third World repertoire in exile. The critic praised a reading anchored in the geopolitical inversion, which located in the countries located to the south a revolutionary spark capable of triggering the desired social and economic transformation. These manifesto works synthesized practically all the critical, political and museological discourse that the author sustained when he returned to Brazil in 1977.


Keywords: Exile; Third world; Latin American art; Mário Pedrosa; Popular art.


Texto completo:

PDF

Referências


ALLENDE, Salvador. América Latina, voz de un pueblo continente: discursos del presidente Allende en sus giras por Argentina, Ecuador, Colombia y Perú. Santiago: Consejería de Difusíon de la Presidencia de la República, 1971.

ARANTES, Otília. Mário Pedrosa e a tradição crítica. In: MARQUES NETO, José Castilho. Mário Pedrosa e o Brasil. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2001.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 11, p. 89-117, maio-ago. 2013.

CABAÑAS, Kaira. Una voluntad de configuración: el arte virgen. In: PÉREZ-BARREIRO, Gabriel; SOMMER, Michelle (org.) Mário Pedrosa: de la naturaleza afectiva de la forma. Madrid: Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía, 2017.

FERRERO, Mariano. Salvador Allende: su mundo, su época – la política internacional del siglo XX y sus encrucijadas en la Guerra Fría. In: AMAR, Mauricio; VÁSQUEZ, David; RIVERA, Felipe (org.). Salvador Allende: vida política y parlamentaria – 1908-1973. Santiago: Ediciones Biblioteca del Congreso Nacional de Chile, 2008.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

GILMAN, Claudia. Entre la pluma y el fusil: debates y dilemas del escritor revolucionario en América Latina. Buenos Aires: Siglo XXI Editores, 2003.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. A recepção de Fanon no Brasil e a identidade negra. Novos Estudos Cebrap, n. 81, p. 99-104, jul. 2008.

IANNI, Octavio. Imperialismo na América Latina. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1974.

KAREPOVS, Dainis. Pas de politique, Mariô!: Mário Pedrosa e a política. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2017.

MAMMÌ, Lorenzo (org.). Arte e ensaios: Mário Pedrosa. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

MARTINS, Luciano. A utopia como modo de vida. In: MARQUES NETO, José Castilho. Mário Pedrosa e o Brasil. São Paulo: Editora Perseu Abramo, 2001.

PEDROSA, Mário. Política das artes: Mário Pedrosa. Textos escolhidos I. Organização e prefácio de Otília Arantes. São Paulo: Edusp, 1995.

PEDROSA, Mário. A arte não é fundamental. A profissão do intelectual é ser revolucionário. Pasquim, Rio de Janeiro, ano XIII, n. 646, 12-18 nov. 1981. Arquivo do Centro de Documentação e Memória (Cedem) da Unesp. Fundo Mário Pedrosa.

PEDROSA, Mário. Teses para o Terceiro Mundo. In: SILVEIRA, Ênio et al. (org.). Encontros com a Civilização Brasileira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

PEDROSA, Mário; TRELLES, Danilo. Declaración. In: Museo de la Solidaridad: donación de los artistas del mundo al gobierno de Chile.

Santiago: Comité Internacional de Solidaridad Artistica con Chile, Instituto de Arte Latinoamericano, Universidad de Chile, 1972. (Catálogo de exposição.)

RAMA, Angel. La riesgosa navegación del escritor exiliado. Nueva Sociedad, n. 35, mar.-abr. 1978.

ROLLEMBERG, Denise. Exílio entre raízes e radares. Rio de Janeiro: Editora Record, 1999.

STELLWEG, Carla. Juan Acha, artes visuales y la I Bienal Latinoamericana de São Paulo. In: BARRIENDOS, Joaquín (org.). Juan Acha: despertar revolucionario. Ciudad de México: RM/MUAC/Zamboni, 2017.

WASSERMAN, Claudia. Transição ao socialismo e transição democrática: exilados brasileiros no Chile. História Unisinos, v. 16, n. 1, jan.-abr. 2012.

Fontes primárias:

Carta de Hélio Pellegrino a Mário Pedrosa. 18 de maio de 1972. Arquivo do Centro de Documentação e Memória (Cedem) da Unesp. Fundo Mário Pedrosa.

Carta de Mário Pedrosa a Dore Ashton. Sem data (provavelmente redigida em 1975). Arquivo Museu da Solidariedade Salvador Allende.

Carta de Mário Pedrosa a Samir Amin. 5 de dezembro de 1975. Arquivo do Centro de Documentação e Memória (Cedem) da Unesp. Fundo Mário Pedrosa.

Carta de Samir Amin a Mário Pedrosa. 17 de janeiro de 1977. Arquivo do Centro de Documentação e Memória (Cedem) da Unesp. Fundo Mário Pedrosa.

MANRIQUE, Jorge Alberto. Artes Visuales, México D. F., n. 10, abr.- jun. 1976. Arquivo Multimeios/Centro Cultural São Paulo.

MÁRIO Pedrosa morre aos 81 anos. Folha de S. Paulo, São Paulo, 6 nov. 1981. Arquivo do Centro de Documentação e Memória (Cedem) da Unesp. Fundo Mário Pedrosa.

PEDROSA, Mário. Vozes da Ásia, Vozes d ́África: a conferência de Bandung. Correio da Manhã, 16 abr. 1955. Arquivo Biblioteca Nacional.




DOI: https://doi.org/10.37235/ae.n41.18

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 arte e ensaios

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.