Moderno desde criancinha: antropofagia no livro ilustrado brasileiro contemporâneo

Claudia Mendes

Resumo


Desde a década de 1970 principalmente, os ilustradores brasileiros têm promovido
intenso diálogo entre referências globais e locais, num processo que tem grande
afinidade com aquele da antropofagia modernista. Este artigo examina obras
dos artistas Angela Lago (1945), Roger Mello (1965) e Fernando Vilela (1973),
indicando o desenvolvimento de um processo de descolonização visual.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 CC Atribuição 4.0

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.