Avaliação da Ocorrência de Focos de Calor na região da Estação Ecológica do Taim e Campos Neutrais, Rio Grande do Sul - Brasil

Ana Lucia da Silva Nascimento, Mateus da Silva Teixeira, Marcelo Félix Alonso, William Duarte Jacondino

Abstract


Unidades de Conservação são regiões demarcadas com o objetivo de preservar o bioma, tornando-as importantes ferramentas para a mitigação dos efeitos das mudanças climáticas, em termos do estoque de carbono e da preservação de recursos hídricos. Sob condições atmosféricas que proporcionam um período atípico, ambientes florestais preservados ficam suscetíveis à ação do fogo, que pode proporcionar uma alteração drástica em sua estrutura e diversidade. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a ocorrência de focos de calor na região da Estação Ecológica do Taim e Campos Neutrais, Rio Grande do Sul - Brasil (1998 a 2018). As informações sobre os focos de calor foram obtidas através do modelo Brazilian Biomass Burning Emission Model, do pré-processador de emissões PREP-CHEM-SRC, a partir do qual foram feitas correlações com dados de precipitação média na área e anomalias da temperatura média da superfície do mar nas regiões do Niño e Oceano Atlântico Adjacente. Os principais resultados mostraram que o período sazonal de maior ocorrência de focos de calor foram os da primavera e verão, destacando-se os meses de dezembro e janeiro, diferindo do que ocorre para o bioma Pampa. Observou-se uma tendência de aumento de focos de calor e diminuição da precipitação (0,62 FC/ano e -14,9 mm/ano) na região, entretanto, elas não se mostraram estatisticamente significativas. Os resultados indicam também que períodos com baixa precipitação, iniciados até três meses antes podem aumentar a ocorrência de focos de calor, evidenciando que a atmosfera exerce um papel importante no condicionamento para sua ocorrência.

Keywords


Incêndios florestais; Unidades de conservação; Bioma pampa

References


Aceituno, P.1988. On the functioning of the southern oscillation in the South America sector - Part II: Upper-Air Circulation. Journal of Climate, 21: 341-355.

Almeida, C.T.; Oliveira, J.F.; Delgado, R.C.; Cubo, P. & Ramos, M.C. 2017. Spatiotemporal rainfall and temperature trends throughout the Brazilian Legal Amazon,1973-2013. International Journal of Climatology, Londres, 37(4): 2013-2026.

Alonso, M. F. 2011. Previsão do tempo químico para a América do Sul: Impacto relativo das emissões urbanas nas escalas local e regional. Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE, São José dos Campos. Tese de Doutorado em Meteorologia, 218p.

Andreae, M. O. 1991. Biomass burning: Its history, use and distribution and its impact on environmental quality and global climate, in Global Biomass Burning: Atmospheric, Climatic and Biospheric Implications, editado por J. S. Levine, MIT Press, Cambridge, p. 3-21.

Andreae, M, O.; Artaxo, P.; Fischer, H.; Freitas, S. R.; Grégoire, M. J.; Hansel, A.; Hoor, P.; Kormann, R.; Krejci, R..; Lelieveld, J.; Lindinger, W.; Longo, K.; Perers, W.; Reus, K.; Scheeren, B.; Dias, S. M. A. F.; Strom, J.; Velthoven, P. F. J & Williams, J. 2001. Transport of biomass burning smoke to the upper troposphere by deep convection in the equatorial region, Geophysical Research Letters, 28(6):951-954.

Barbosa, R. I.; Fearnside, P. M. 1999. Incêndios na Amazônia Brasileira: estimativa da emissão de gases do efeito estufa pela queima de diferentes ecossistemas de Roraima na passagem do evento El Niño (1997/1998). Acta Amazônica, Manaus, 29(4): 513-534.

Brito, P.; Barbleta, R. & Mendonça, M. 2008. Variabilidade Espacial e Temporal da Precipitação Pluvial no Rio Grande do Sul: Influência do Fenômeno El Niño Oscilação Sul. Revista Brasileira de Climatologia, 3(s.l). Disponível em: . Acesso em: 16 fev. 2019.

Caúla, R. H.; Oliveira, J. J. F.; Lyra, G. B.; Delgado, R. C. & Heilbron, P. F. L. 2015. Overview of fire foci causes and locations in Brazil based on meteorological satellite data from 1998 to 2011. Environmental Earth Sciences, 74(2): 1497-1508. DOI: https://doi.org/10.1007/s12665-015-4142-z

Cavalcanti, I. F. A. & Kousky, V. E. 2009. Frentes Frias sobre o Brasil. In: Cavalcanti, I. F. A. et al. Tempo e Clima no Brasil. São Paulo: Oficina de Textos. p. 135-147.

Chen, M.; Shi, W.; Xie, P.; Silva, V. B. S.; Kousky, V. E.; Higgins, R. W. & Janowiak, J. E. 2008. Assessing objective techniques for gauge-based analyses of global daily precipitation, Journal of Geophysical Research. DOI: 10.1029/2007JD009132

Clemente, S. S.; Júnior, J. F. & Louzada, M. A. 2017. Focos de Calor na Mata Atlântica do Estado do Rio de Janeiro, Revista Brasileira de Meteorologia, 32(4): 669-677. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-7786324014

Corrêa, S. C. 2007. A influência dos sistemas climáticos sobre os incêndios florestais: estudo de caso: evento de incêndio ocorrido em setembro de 2005 no Jardim Botânico de Brasília. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade de Brasília, 85p.

Dias, S. 2006. Meteorologia, desmatamento e queimadas na Amazônia: Uma síntese de resultados do LBA, Revista Brasileira de Meteorologia, 21(3): 190-199.

Diniz, F. A. 1998. El Niño e sua influência no período de inverno de 1997 em algumas regiões do Brasil. Bulletin de I’Istitut Français d’Études Andines, 3(27): 771-778.

Duchiade, M. P. 1992. Poluição do ar e doenças respiratórias: Uma revisão, Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 3(8): 311-330.

Fearnside, P. M.; Barbosa, R. I. & Pereira, V. B. 2013. Emissões de gases do efeito estufa por desmatamento e incêndios florestais em Roraima: fontes e sumidouros, Revista Agroambiente, 7(1): 95-111.

Freitas, S. R.; Longo, K. M.; Alonso, M. F.; Pires, M.; Marecal, V.; Grell, G.; Stockler, R.; Mellor, R. F.& Gacita, S. M. 2011. PREP-CHEM-SRC – 1.0: a preprocessor of trace gas and aerossol emission fields for regional and global atmospheric chemistry models, Geoscientific Model Development, 4: 419-433. Doi: 10.5194/gmd-4-419-2011

Freitas, S. R.; Longo, K. M.; Dias, M. A. F. & Dias, P. L. 2005. Emissões de queimadas em ecossistemas da América do Sul, Estudos Avançados, 59(53): 167-185.

Freitas, S. R.; Longo, K. M. & Rodrigues, L. F. 2009. Modelagem numérica da composição química da atmosfera e seus impactos no tempo, clima e qualidade do ar, Revista Brasileira de Meteorologia, 24(2): 188-207.

Giglio Lu.; Descloitres J.; Justice, C. O. & Kaufman, Y. 2003. An enhanced contextual fire detection algorithm for MODIS, Remote Sens Environ, 87: 273–282.

Hyde, J. C.; Blades, J.; Hall, T.E.; Ottmar, R. D. & Smith. A. M. S. 2016. Smoke management photographic guide: a visual aid for communicating impacts. Gen. Tech. Rep. PNW-GTR-925. Portland, OR: U.S. Department of Agriculture, Forest Service, Pacific Northwest Research Station, 59p.

Hersbach, H., Bell, B., Berrisford, P., Hirahara, S., Horányi, A., Muñoz‐Sabater, J., Nicolas, J., Peubey, C., Radu, R., Schepers, D., Simmons, A., Soci, C., Abdalla, S., Abellan, X., Balsamo, G., Bechtold, P., Biavati, G., Bidlot, J., Bonavita, M., Chiara, G., Dahlgren, P., Dee, D., Diamantakis, M., Dragani, R., Flemming, J., Forbes, R., Fuentes, M., Geer, A., Haimberger, L., Healy, S., Hogan, R.J., Hólm, E., Janisková, M., Keeley, S., Laloyaux, P., Lopez, P., Lupu, C., Radnoti, G., Rosnay, P., Rozum, I., Vamborg, F., Villaume, S. & Thépaut, J. 2020, ‘The ERA5 global reanalysis’, Quarterly Journal of the Royal Meteorological Society, p. qj.3803.

ICMBio. 2010. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Apostila para Formação de Brigadista de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais. Brasília: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade 90p.

ICMBio. 2017. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Combate a incêndios florestais no País. Disponível em: http://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/9156-combate-a-incendios-florestais-no-pais-2. Acesso em: 10 mai. 2018.

Intergovernamental Panel on Climate Change (IPCC), guidelines for national greenhouse gas inventories. 2006. In: Eggleston, H.S.; Buendia, L.; Miwa, K.; Ngara, T. & Tanabe, K. (eds.). Kanagawa: National Greenhouse Gas Inventories Programme, Intergovernmental Panel on Climate Change and Institute for Global Environmental Strategies.

Kendall, M.G.1975. Rank Correlation Methods. Charles Griffin,London.

Koproski, L.; Ferreira, M. P.; Goldammer, J. G. & Batista, A. C. 2011. Modelo de zoneamento de risco de incêndios para unidades de conservação brasileiras: o caso do Parque Estadual do Cerrado (PR). Floresta, Curitiba, 41(3): 551-562.

Lapola, D.M.; Silva, J.M.C.d.; Braga, D.R.; Carpigiani, L.; Ogawa, F.; Torres, R.R., Barbosa, L.C.F.; Ometto, J.P.H.B. & Joly, C.A. 2019. A climate‐change vulnerability and adaptation assessment for Brazil's protected areas. Conservation Biology. doi:10.1111/cobi.13405

Leite, F. F.; Ganho, N.; Gonçalves, A. B. & Botelho, F. 2017. Iberian atmospheric dynamics and large forest fires in mainland Portugal, Agricultural and Forest Meteorology, 247: 551-559. Doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.agrformet.2017.08.033

Marques, M. D. & Villanueva, A.O.N. 2001. Regime hidrológico de banhados e sua conservação. Caderno de Pesquisa Série Biológica, 13: 63-79.

Mann, H. B. 1945. Econometrica. The econometric Society, 13(3): 245-259.

Medeiros, M. B.& Fiedler, N.C. 2004. Incêndios florestais no Parque Nacional da Serra da Canastra: desafios para a conservação da biodiversidade. Ciência Florestal, 14(2): 157-168.

MMA. 2018. Ministério do Meio Ambiente. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2019.

Natalie, G. S. B.; Cascais, L, B.; Silva, L. H. G. & Miura, A. K. 2015. Detecção de áreas queimadas na Estação Ecológica do Taim (RS), causada pelos incêndios de 2008 e 2013. In: XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, João Pessoa-PB, Brasil, 25 a 29 de abril de 2015, INPE.

National Center for Atmospheric Research Staff (Eds). Last modified 21 Jul 2018. "The Climate Data Guide: CPC Unified Gauge-Based Analysis of Global Daily Precipitation. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2019.

Pereira, H. R.; Reboita, M. S & Ambrizzi, T. 2017. Características da atmosfera na primavera austral durante o El Niño de 2015/2016. Revista Brasileira de Meteorologia, São Paulo, 32(2): 293-310. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-77863220011

Pereira, M. G.; Trigo, R. M.; DaCamara, C. C.; Pereira, J. M. C. & Leite, S. M. 2005. Synoptic patterns associated with large summer forest fires in Portugal. Agricultural and Forest Meteorology, 129: 11-25. DOI:10.1016/j.agrformet.2004.12.007

Prins, E.; Feltz, J.; Menzel, W. & Ward, D. 1998. An overview of GOES-8 diurnal fire and smoke results for SCAR-B and 1995 fire season in South America, J. Geophys. Res, 103(D24): 31821–31835.

Rodrigues, J. A.; Libonati, R.; Peres, F. L.& Setzer, A. 2018. Burned Area Mapping on Conservation Units of Mountains Region of Rio de Janeiro Using Landsat-8 Data During the 2014 Drought, Anuário do Instituto de Geociencias, Rio de Janeiro, 41(1): 318-327. DOI:http://dx.doi.org/10.11137/2018_1_318_327.

Salviano, M. F.; Groppo, J. D.; Pellegrino, G. Q. 2016. Análise de Tendência em Dados de Precipitação e Temperatura no Brasil, Rev. bras. meteorol., São Paulo, 31(1): 64-73. DOI:https://doi.org/10.1590/0102-778620150003.

Setzer, A. & Pereira, M.1991. Amazonia biomass burnings in 1987 and an estimate of their tropospheric emissions, Ambio, (20): 19–22.

Tassi, R. 2008. Gerenciamento Hidroambiental de Terras Úmidas. Instituto de Pesquisas Hidráulicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Tese (Doutorado em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental), Porto Alegre, 240p.

Tomzhinski, G. W.; Coura, P. H. F. & Fernandes, M. C. 2011. Avaliação da Detecção de Focos de Calor por Sensoriamento Remoto para o Parque Nacional do Itatiaia, Biodiversidade Brasileira, 1(2): 201-211.

Torres, F. T. P.; Lima, G. S.; Costa, A. G.; Félix, G. A. & Júnior, M. R. S. 2016. Perfil dos incêndios florestais em unidades de conservação brasileiras no período de 2008 a 2012, Floresta, Curitiba, 46(4): 531-542. DOI: 10.5380/rf.v46i3.44199

Westerling, A. L.; Gershunov, A.; Brownn, B. L.; Cavan, D. R. & Dettinger, M. D. 2004. Climate and wildfire in the western United States, American Meteorological Society, 84:595–604.

Wollman, C.A.; Simoni, J.P.D. & Iensse, A.C. 2016. Atlas Climático do Taim: contribuição ao estudo do clima em unidades de conservação. Boletim Geográfico do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 27: 30-50.

OMS. 2019. World Health Organization, Ambient air pollution: Pollutants. Disponível em: < https://www.who.int/airpollution/ambient/pollutants/en/>. Acesso em: 26 jan. 2019.

Wilks, D. S. 2006. Statical Methods in the atmospheric scienses: na introdution. San Diego: Academic Press, 470p.




DOI: https://doi.org/10.11137/2020_4_460_469

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Indexers and Bibliographic DatabasesFollow us
SCImago Journal & Country Rank
ISSN
ROAD
Clarivate
Diadorim
DOAJ
DRJI
GeoRef
Google Scholar
Latindex
REDIB
Oasisbr
Twitter
Instagram
Facebook
All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International Public License (CC BY-NC 4.0).