Práticas latino-americanas de translinguismo: de Xul Solar às poéticas do portuñol-portunhol

Rita Lenira de Freitas Bittencourt

Resumo


Este ensaio se ocupa da produção do artista múltiplo Oscar Agustín Alejandro Shultz Solari (1897-1963) – mais conhecido como Xul Solar – entendendo sua preocupação em construir uma identidade latino-americana, na primeira metade do século XX, conjugada à opção por um fazer que mescla a linguagem verbal e a pictórica a partir de correspondências e estranhamentos entre as línguas e as artes. Desde o início, portanto, assinala um lugar de conflitos, e toma a não acomodação das diferenças como marca de um discurso singular dentro da ordem estética que, por convenção, este trabalho denomina de modernista. Como extensão e deriva, a proposta é retomada, na cena contemporânea, em algumas produções em portuñol-portunhol, exemplificadas na obra do escritor Wilson Bueno (1949-2010).


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/1517-106X/2021232110126

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons