O espaço acústico em uma taxocenose de anuros (Amphibia) do sudeste do Brasil

José P. Pombal Junior

Resumo


Este estudo descreve o uso do espaço acústico pelas espécies de anuros em uma poça permanente na Serra de Paranapiacaba, no Município de Ribeirão Branco, sul do Estado de São Paulo (aproximadamente 24013’S, 48046’W; cerca de 800m acima do nível do mar). O trabalho de campo foi conduzido entre janeiro e dezembro de 1993, totalizando 40 noites de observações. Sete visitas preliminares foram feitas antes deste período e quatro após dezembro de 1993. Observações naturalísticas geralmente eram iniciadas antes do ocaso e terminavam por volta das 24:00h–1:00h. Dezenove espécies de anuros foram encontradas na poça ou em suas margens e emitiam distintas vocalizações de anúncio, provavelmente suficientes para evitar a hibridação. Phyllomedusa distincta e P. tetraploidea foram as únicas espécies que apresentaram vocalização específica similar, bem como, horário de atividade, sítio de vocalização, período reprodutivo e modo reprodutivo semelhantes. Estes fatores resultaram em extensa hibridação entre as duas espécies. A frequência da vocalização de anúncio, a duração da nota e canto, e a estrutura física do canto permitem o reconhecimento específico.

Palavras-chave


Anura; Floresta Atlântica; Hibridação; Isolamento reprodutivo; Vocalização de anúncio

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Arquivos do Museu Nacional

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.