Caracterização Petrográfica do Horizonte Calciossilicático Mineralizado em Scheelita do Bairro dos Marins, Município de Piquete, Estado de São Paulo

Ronaldo Mello Pereira, Ciro Alexandre Ávila, Loiva Lízia Antonello, Henrique Llacer Roig, Reiner Neumann

Resumo


Na área do Bairro dos Marins foram identificados três conjuntos distintos de associações de rochas, que são representados por: granitóides (Marins e Mendanha); um biotita-hornblenda gnaisse ortoderivado; e uma unidade metassedimentar, que inclui um biotita-muscovita gnaisse, diferentes litótipos calciossilicáticos, quartzitos e mármores. Neste contexto, o granitóide do Marins encontra-se fortemente metassomatizado e apresenta diferentes ocorrências minerais, representadas por cassiterita, molibdenita, wolframita, fluorita, topázio e columbita-tantalita, as quais foram correlacionadas a filões greisenizados. O pacote metassedimentar apresenta dois horizontes calciossilicáticos distintos, sendo que o primeiro encontra-se intercalado ao biotita-muscovita gnaisse e apresenta composição mineralógica bastante variável, enquanto o segundo horizonte está encaixado entre o biotita-muscovita gnaisse e o biotita-hornblenda gnaisse, é preferencialmente diopsídico e está mineralizado em scheelita. A mineralização scheelitífera apresenta caráter singenético-estratiforme e estaria relacionada ao metamorfismo regional que propiciou a geração dos diversos horizontes calciossilicatados em um processo semelhante ao dos reaction skarns. Posteriormente, durante um evento retrometamórfico de fácies epidoto anfibolito, parte dos grãos de scheelita foram dissolvidos e o tungstênio foi remobilizado e disperso.

Palavras-chave


Calciossilicática; Scheelita; Estratiforme; Skarn; Piquete; São Paulo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Arquivos do Museu Nacional

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.