Sobre uma seqüência de vértebras sacrocaudais de um dinossauro terópode da Formação Santana, Cretáceo Inferior, Nordeste do Brasil

Jonathas de Souza Bittencourt, Alexander Wilhelm Armin Kellner

Resumo


Restos de terópodes de depósitos fossilíferos brasileiros são raros, sendo a maioria dos espécimens incompletos. O Membro Romualdo (Aptiano/Albiano) da Formação Santana forneceu até então seis exemplares. Somando-se a estes é descrito uma sequência de seis vértebras sacrais posteriores, seis anteriores com três chevrons (MN 4743-V). Diferenças marcantes entre MN 4743-V e alguns táxons dos principais grupos de Theropoda, como Ceratosauria, Allosauroidea e Coelurosauria não permitem que este material seja associado a algum destes clados. Por outro lado, MN 4743-V apresenta uma semelhança marcante com os Spinosauroidea (Spinosauridae+Torvosauridae), que é a presença de duas lâminas robustas sob o processo transverso, delimitando três fossas. A ausência de processos pareados na parte proximal do chevron sugere que, dentro de Spinosauroidea, MN 4743-V seja um membro de Spinosauridae, o que é congruente com achados prévios de espinossaurídeos no Membro Romualdo. MN 4743-V difere dos demais exemplares com elementos sacro-caudais encontrados no Membro Romualdo, indicando a presença de pelo menos cinco espécies de terópodes neste depósito.

Palavras-chave


Spinosauroidea; Dinosauria; Formação Santana; Cretáceo Inferior; Brasil

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Arquivos do Museu Nacional

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.