Unicidade do atributo principal em Descartes

Sílvia Altmann

Resumo


Segundo Descartes, toda substância tem um e um único atributo principal. Essa tese, somada à afirmação que pensamento e extensão são atributos principais, leva trivialmente à impossibilidade de pensamento e extensão serem atributos de uma mesma e única substância. A proposta do presente texto é examinar a tese cartesiana do atributo principal tomando por ponto de partida as definições oferecidas por Descartes nos Princípios de Filosofia para as noções de atributomodosubstância e distinções real, modal e de razão,ao invés de tomar diretamente por fio condutor a discussão sobre a separação entre corpo e alma. O objetivo é indicar por que, compreendendo a noção de atributo principal de certo modo, não faz sentido falar em mais de um atributo principal, assim como indicar quais seriam as consequências da admissão da possibilidade de um outro sentido de atributo principal que ao mesmo tempo cumprisse o papel que Descartes parece reservar ao atributo principal e que permitisse, ao mesmo tempo, a possibilidade de dois atributos principais em uma mesma substância. A última parte consiste em mostrar ainda de que modo a "aplicação" dessas noções caracterizadas em abstrato deixaria espaço para darmos conta da distinção entre alma e corpo e sua relação com a noção primitiva da união.

 

Abstract

According to Descartes, every substance has one and only one principal attribute. This thesis, together with the claim that thought and extension are key attributes, trivially leads to the impossibility of thought and extension being attributes of one and the same substance. The purpose of this paper is to examine the Cartesian thesis of the principal attribute taking as starting point the definitions for attribute, mode, substance, real distinction, modal distinction and distinction of reason offered by Descartes in the Principles of Philosophy. I try to show why, if the notion of principal attribute is understood in a certain way, it simply makes no sense to speak of more than one principal attribute. I try also to indicate what would be the consequences of the admission of the possibility of another sense of principal attribute that would simultaneously fulfill the role Descartes seems to reserve to the principal attribute while at the same time allowing the possibility of two principal attributes in a same substance. Finally, I try to show how the "application" of the interpretation of principal attribute proposed allows to explain in what sense, although soul and body are really distinct, their union must be conceived as of a peculiar kind.

Recebido em 08/2014
Aprovado em 09/2014

 


Palavras-chave


Descartes; pensamento; extensão; atributo principal; substância; atributo; modo; distinção real; thought; extension; principal attribute; substance; mode; real distinction

Texto completo:

PDF

Referências


DESCARTES, R. Méditations métaphysiques. Edição de Adam & Tannery, Oeuvres des Descartes.

DESCARTES, R. Princípios de filosofia, Parte I. Trad.: Almeida, G. A. de (coordenador). Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2002.

LEVY, L. "O conceito cartesiano de atributo principal”. In: ROCHA, E. & LEVY, L . Estudos de filosofia moderna. Porto Alegre: Linus Editores, 2011, pp. 69-80.

ROCHA, E.M. “Dualismo, substância e atributo essencial no sistema cartesiano”. Analytica, vol. 10, no. 2, 2006: 9-105.




Direitos autorais



ISSN 1414-3004, Qualis A2

Analytica. Revista de Filosofia é indexada pelo Philosopher's Index e pelo GeoDados.