Filosofia no/do Brasil: os últimos cinquenta anos - desafios e legados

Ivan Domingues

Resumo


O artigo focaliza a situação da filosofia brasileira nos últimos cinquenta anos, através de seis passos argumentativos e cinco tipos ideais. Os passos recobrem a formulação do problema, junto com os legados e os desafios, num duplo movimento que vai regressivamente da atualidade ao passado colonial, bem como progressivamente do passado à atualidade e desta prospectivamente ao futuro. Neste quadro são examinadas a escala e a densidade da atividade filosófica na colônia e no império, ao procurar as instâncias e evidências para a hipótese dos déficits institucional e cultural. Paralelamente, são abordados os turning points com seus marcos temporais. Por um lado, a implantação do aparato institucional da filosofia no curso do século XX, com os Departamentos de Filosofia à frente, e impulsionada depois com a instauração do sistema de pós-graduação brasileiro protagonizado pela CAPES a partir dos anos 1970. Por outro lado, associada às realizações anteriores e efeito delas, a implantação do sistema de obras filosóficas brasileiras, no sentido de Antonio Cândido, atendendo aos requisitos de recorrência e seriação. Já os tipos ideais, um total de cinco, foram construídos para dar estofo e inteligência aos seis passos argumentativos, focalizando o éthos da atividade filosófica e a diversidade das experiências intelectuais, quatro deles apoiados na matéria histórica e numa visão retrospectiva, enquanto um dos tipos estará descolado da história real e consistirá numa visada prospectiva (sondagem do futuro), a saber: no primeiro grupo, o intelectual orgânico da igreja, o estrangeirado diletante, o scholar especializado e o intelectual público; no segundo, o pensador cosmopolita globalizado.

 

Abstract

This paper focuses on the Brazilian Philosophy situation over the last fifty years through six argumentative steps and five ideal types. The steps cover the presentation of the problem, along with the legacy and challenges in a two way movement that goes backwards, starting from the present day to the colonial past, as well as progressively from the past up to the present day and prospectively from here to the future. Within this framework the scale and density of the Philosophical activity in the colony and empire are examined, by searching for instances and evidences for the hypothesis of institutional and cultural deficits. On the side, the turning points are addressed with their timeframes. Firstly, it's analyzed the implementation of the Philosophy's institutional apparatus created in the course of the twentieth century, with the Philosophy Departments at the front, and boosted with the opening of the Brazilian graduate system played by CAPES since the 1970s. Secondly, associated with past achievements and their effects, it's analyzed the implementation of the Brazilian Philosophical works system, in the sense of Antonio Cândido, meeting the requirements of recurrence and recursivity. Concerning the ideal types, a total of five, they were built to give ground and intelligence to the six argumentative steps, focusing on the philosophical activity ethos and the intellectual experiences diversity, four of them supported on historical matters and in hindsight, while one of the types will be detached from the real story and will consist of a prospective target (probing the future), namely: in the first group, Church's organic intellectual, the dilettante foreign-like, the specialized scholar and public intellectual; in the second, the globalized cosmopolitan thinker.


Recebido em 07/2014

Aprovado em 08/2014 


Palavras-chave


filosofia brasileira; cosmpolitismo; intelectual orgânico; CAPES; Brazilian Philosophy; public intellectual; cosmopolitan thinker

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, P. E. Um departamento francês de ultramar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

ARANTES, P. E. Um depoimento sobre o Padre Vaz, por Paulo Eduardo Arantes. Síntese, Belo Horizonte, v. 32, nº 102, 2005.

ASSIS, M. Teoria do medalhão. in: GLEDSON, J. (Org.). 50 contos de Machado de Assis. São Paulo: Cia das Letras, 2013: 82-90.

ASSIS, M. Notícia da atual literatura brasileira -- Instinto de nacionalidade, in: Obra Completa. Rio de Janeiro: Editora José Aguilar, 1959: 815-822.

CÂNDIDO, A. Formação da literatura brasileira. Belo Horizonte: Itatiaia, 2000.

CORTESÃO, J. Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madrid: Parte I -- Tomo I (1695-1735). Rio de Janeiro:

MRE Instituto Rio-Branco, 1950.

DOMINGUES, I. O continente e a ilha: Duas vias da filosofia contemporânea. São Paulo: Loyola, 2009.

DIAS, F. C. “Raízes e destino”, in: Revista Diversa [UFMG], no. 11, 2007.

DIAS, R. B. “Da esquerda católica à esquerda revolucionária: a Ação Popular na história do catolicismo”, in: Revista Brasileira de História das Religiões -- Ano I, no. 1 -- Dossiê Identidades Religiosas e História: 166-195.

FOUCAULT, M. "Structuralisme et post-structuralisme". in: Dits et écrits II. Paris: Gallimard, 2001: 1250-1276.

GIANNOTTI, J. Entrevista, in: MOURA, F. e MONTEIRO, P. Retrato de grupo: 40 anos do CEBRAP. São Paulo: Cosac Naify, 2009: p. 53-71.

HOLANDA, S. B. de. Raízes do Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 2013.

LEITE, S. História da Cia de Jesus no Brasil. Lisboa/RJ: Portugália / Ed. Civ. Brasileira, 1945, vários volumes.

MARGUTTI, P. História da filosofia do Brasil -- 1ª Parte: O período colonial. São Paulo: Loyola, 2013.

MAXWELL, K. A devassa da devassa. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

MUCHAIL, S. T. Um passado revisitado -- O curso de filosofia da PUC-SP: 80 anos. Disponível em http://

www.fe.unicamp.br/ensino/graduacao/downloads/proesf-Memorial_Profa_Salma.pdf

NOBRE, M. e REGO, J. (Orgs.). Conversas com filósofos brasileiros. São Paulo: Editora 34, 2000.

PRADO Jr, B. "Cruz Costa e a história das ideias no Brasil". in: MORAES, R. et al. (Orgs.). Inteligência Brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1986.

PRADO Jr, B. "O problema da filosofia no Brasil". in: Alguns ensaios -- Filosofia, Literatura e psicanálise. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

PINTO, A. V. Sete lições sobre educação de adultos [Inclui Entrevista concedida a Demerval Saviani]. São Paulo: Editora Cortez, 2010 (16ª edição).

RESENDE, M. E. L. de e VILALTA, L. C. (Orgs.). História de Minas Gerais: As Minas setecentistas, vol. 2. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

SANTOS, J. H. “Padre Vaz, filósofo de um mundo em busca de sentido”. in: Boletim da UFMG, no. 1353, Ano 28, 13/06/2002.

SCHWARTZ, A. (Org.). Artes do conhecimento. São Paulo: Publifolha, 2008.

SOUZA, H. O fio da navalha. Rio de Janeiro: Revan, 1996.

TODOROV, T. A Conquista da América: a questão do outro. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

VAZ, H. C. L. “O problema da filosofia no Brasil”. Síntese, no. 30, 1984: 11-25.

VAZ, H. C. L. "Filosofia e forma da ação [Entrevista]" Cadernos de Filosofia Alemã, vol. 2, 1997: 77-102.






Direitos autorais



ISSN 1414-3003, Qualis A2

Analytica. Revista de Filosofia é indexada pelo Philosopher's Index e pelo GeoDados.