Mental language and predication: Ockham and Abelard

Claude Panaccio

Resumo


Uma das principais teses de meu livro Le discours intérieur. De Platon à Guillaume d'Ockham era a de que, estritamente falando, a ideia de linguagem mental tinha origem com Guilherme de Ockham, entre o fim da segunda e o início da terceira década do século XIV. Em um artigo recente, no entanto, Peter King defende que "Abelardo foi o autor da primeira teoria plenamente desenvolvida da linguagem mental na Idade Media". Neste artigo gostaria de responder à afirmação de King, e de indicar as diferenças extremamente significantes que há entre as posições de Abelardo e de Ockham sobre a linguagem mental.

 

Abstract

One of the main tenets of my book Le discours intérieur. De Platon à Guillaume d'Ockham was that strictly speaking, the idea of mental language originated with William of Ockham in the late 1310s and early 1320s. In a recent paper, however, Peter King claims that "Abelard was the author of the first full-fledged theory of mental language in the Middle Ages". In this paper I would like to reply to King's claim, and to point out the very significant differences that exist between Abelard and Ockham on mental language.


Texto completo:

PDF




Direitos autorais



ISSN 1414-3003, Qualis A2

Analytica. Revista de Filosofia é indexada pelo Philosopher's Index e pelo GeoDados.