Z 6 e a Tese da Identidade por Acidente

Marco Zingano

Resumo


Neste artigo, proponho uma interpretação alternativa para Metafísica Z 6 1031a19-28, segundo a qual o que é negado quanto à identidade entre uma coisa e ser esta coisa para os itens ditos por acidente é a identidade irrestrita ou plena, mas não todo tipo de identidade. A solução proposta é aplicada, no final, à questão da definição do sangue, tal como é discutida em De partibus animalium II 3.

 

Abstract:

This paper endeavours to offer a positive account of the accidental identity illustrated by "white-man" in Aristotle's Metaphysics Z 6 1031a19-28. The gist of argument lies in the distinction between full or unrestricted identity, on the one hand, and restricted or accidental identity, on the other, so that white-man and to-be-white-man may display the latter case of identity, even if the former one is ruled out. The proposed solution to this issue is examined in connection to the case of the definition of blood, which is expressly compared to that of white-man in De partibus animalium II 3.

Recebido em 04/20103
Aprovado em 05/2013



Palavras-chave


identidade acidental; identidade plena; qüididade; accidental identity; full identity; quiddity

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



ISSN 1414-3004, Qualis A2

Analytica. Revista de Filosofia é indexada pelo Philosopher's Index e pelo GeoDados.