A singularidade como raiz da contingência em Leibniz: considerações críticas acerca da solução de Couturat ao problema da contingência em Leibniz

Edgar Marques

Resumo


Analiso e crítico neste artigo a solução que Couturat apresenta para o problema da contingência em Leibniz, segundo a qual a singularidade constitui a raiz da contingência. Mostro que essa concepção implica duas teses, a saber: (1) que não há prova a priori de nenhuma proposição que expresse a atribuição de um predicado a um indivíduo, e (2) que são contingentes todas as proposições acerca de indivíduos possíveis. Mostro, em seguida, que essas duas teses são insustentáveis no interior da metafísica leibniziana, devendo, portanto ser rejeitada a interpretação de Couturat.

 

Abstract:

In this paper I analyze and criticize Couturat's solution to the problem of contingence in Leibniz's philosophy. According to this conception the singularity constitutes the root of contingence. I show that this interpretation implies two theses, namely: (1) that there is no a priori truth of a proposition concerning the attribution of a predicate to an individual; (2) that all propositions about possible individuals are contingent. After that I show that these two theses are unsustainable in the leibnitian metaphysics. Couturat's interpretation must then be rejected.

Recebido em 08/20103
Aprovado em 09/2013



Palavras-chave


Leibniz; Couturat; contingência; necessidade; essência;contingence; necessity; essence.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



ISSN 1414-3004, Qualis A2

Analytica. Revista de Filosofia é indexada pelo Philosopher's Index e pelo GeoDados.