“A ORDEM NÃO SERÁ ALTERADA EM NOSSO ESTADO”: OS LEVANTES DE NOVEMBRO DE 1935, O CASO DO AMAZONAS

Davi Monteiro Abreu

Resumo


No bojo das disputas da década de 1930, surgiram importantes personagens no cenário político brasileiro. Por um lado, surgiu a Ação Integralista Brasileira (AIB), sob forte influência do fascismo italiano. Por outro lado, surgiu a Aliança Nacional Libertadora (ANL), que lutava contra o fascismo, o latifúndio e o imperialismo. As duas entidades se faziam presentes no cenário político amazonense, sendo inauguradas entre 1934-1935, disputando mentes e corações. No entanto, a ANL foi colocada na ilegalidade e, com isso, seus membros remanescentes – comunistas e tenentistas – prepararam um levante contra o governo Vargas. Em novembro de 1935, estourou, na cidade de Natal, uma rebelião que logo se espalharia para outras cidades brasileiras, em especial, Rio de Janeiro e Recife – esse evento ficou conhecido na memória oficial como “Intentona Comunista”. Além do fato de essas cidades levarem a insurreição a cabo, foi elaborado um plano para derrubar o governador do estado do Amazonas, Álvaro Maia; no entanto, o plano não foi efetivado. Dessa forma, este artigo tem por objetivo evidenciar a tentativa de levante armado no estado do Amazonas, dando destaque ao planejamento e aos seus envolvidos, utilizando, para tal, a imprensa diária e processos criminais.

Palavras-chave


Amazonas; Intentona; Comunismo.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

Fontes

BRASIL. Lei nº 38, de 4 de abril de 1935. Lei de Segurança Nacional. Distrito Federal, Rio de Janeiro: Câmara Federal, 1935. Acesso em: 19-03-2020.

BRASIL. Decreto 229, de 11 de julho de 1935. Ordena o fechamento, em todo o território nacional, dos núcleos da Aliança Nacional Libertadora. Distrito Federal, Rio de Janeiro: Câmara Federal, 1935. Acesso em: 05/10/2019.

BRASIL. Decreto 24.776, de 14 de julho de 1934. Regula a liberdade de imprensa e dá outras providências. Distrito Federal: Câmara Federal. < https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1930-1939/decreto-24776-14-julho-1934-498265-publicacaooriginal-1-pe.html> Acesso em: 05/10/2019.

Estado do Amazonas. Arquivo Judiciário do Tribunal de Justiça do Amazonas. Processo- crime Nº 281, Manaus: 1935.

Estado do Amazonas. Arquivo Judiciário do Tribunal de Justiça do Amazonas. Recurso criminal Nº 919, Manaus: 1936.

Estado do Amazonas. Arquivo Judiciário do Tribunal de Justiça do Amazonas. Pedido de Liberdade condicional Nº 136, Manaus: 1936.

Estado do Amazonas. Arquivo Judiciário do Tribunal de Justiça do Amazonas. Pedido de Liberdade condicional Nº 137, Manaus: 1936.

Estado do Amazonas. Arquivo Público do Estado do Amazonas. Mensagem do Governo do Estado do Amazonas, 1936.

Jornal do Commercio, Amazonas, 1935-1937. Instituto de Geográfico e Histórico do amazonas (IGHA).

O Socialista, Amazonas, 1936. Instituto de Geográfico e Histórico do amazonas (IGHA).

Relatório da Direção do CPA, Amazonas, 1934. Arquivo Judiciário do Tribunal de Justiça do Amazonas (ArquiTJAM).

Revista Vitória Régia, Amazonas, 1932, N. 10. Biblioteca Mário Ypiranga Monteiro- Centro Cultural Povos da Amazônia (CCPA).

Tribuna Popular, Amazonas, 1935-1936. Instituto de Geográfico e Histórico do amazonas (IGHA).

Bibliografia

ABREU, D. M.. Aliancistas e integralistas: disputas políticas e ideológicas no Amazonas. Manduarisawa- Revista Eletrônica Discente do Curso de História UFAM, v. 2, p. 1-18, 2018.

PRESTES, Luiz Carlos. Por um governo popular, nacional, revolucionário. In: BASTOS, Abguar. Prestes e a Revolução Social. 2 ed. São Paulo: Hucitec, 1986. p. 270.

BITTENCOURT, Agnello. Dicionário Amazonense de Biografias: vultos do passado. Rio de Janeiro: Editora Artenova, 1969.

CANALE, Dario; VIANA, Francisco; TAVARES, José Nilo. Novembro de 1935: meio século depois. Petrópolis-Rio de Janeiro: Vozes, 1985.

CARONE, Edgar. Revoluções do Brasil contemporâneo (1922- 1938). 2 ed. São Paulo: Difel, 1975.

CAPELATO, Maria Helena; PRADO, Maria Lídia. O Bravo Matutino Imprensa e ideologia: O jornal O Estado de S. Paulo. São Paulo: Editora Alfa-Omega, 1980.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da belle époque. 2 ed. Campinas-São Paulo: Editora da Unicamp, 2001.

COSTA, Maria das Graças Pinheiro. O direito à educação no Amazonas (1933- 1935). 2001. 325 p. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação da UFMG, Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais, 2001.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da belle époque. 2 ed. Campinas-São Paulo: Editora da Unicamp, 2001.

D’ARAUJO, Maria Celina. Getulio Vargas, perfil parlamentar. Brasília: Câmara dos Deputados, edições Câmara, 2011.

DASSÚ, Marta. “Frente única e Frente popular: o VII Congresso da Internacional Comunista”. In: História do Marxismo. v. 6, 2 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1985, p. 293-329.

DULLES, John W. Foster. Anarquistas e comunistas no Brasil (1900-1935). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1979.

GRINBERG, Keila. A história nos porões dos arquivos judiciários. In: PINSKY, Carla Bassanezi; DE LUCA, Tania Regina (Orgs.). O Historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2015, p. 119-139.

LIMA, Vivaldo. O invento de Julio Moura. Phenix: Manaus, 1931.

PIO JUNIOR, Amauri Oliveira. O trabalhismo no Amazonas: O periódico Tribuna Popular como instrumento de “orientação das hostes trabalhistas”. 2015. 124 p. Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Ciências Humanas e Letras, Universidade Federal do Amazonas, 2015.

PRESTE, Anita Leocadia. 70 anos Aliança Nacional Libertadora (ANL). Estudos Ibero- Americanos, PUCRS, v. XXXI, n. I, p. 101- 120, 2005.

REIS, Daniel Aarão. Luís Carlos Prestes: um revolucionário entre dois mundos. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

RIBEIRO, Eneida Ramos. Ribeiro Júnior, Redentor do Amazonas- memórias. Manaus: Norma Editora, 2016.

SANTOS, Eloína Monteiro dos. A Rebelião de 1924 em Manaus. 3 ed. Manaus: Editora Valer, 2001.

VIANNA, Marly de A. G. Revolucionários de 1935: sonho e realidade. 3 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com