NOVO JORNALISMO E ABOLICIONISMO: O JORNAL LIBERTADOR E A IMPRENSA POLÍTICA NA PROVÍNCIA DO CEARÁ (1881-1884)

Francisco Paulo de Oliveira Mesquita

Resumo


O presente artigo analisa o papel cultural da imprensa abolicionista na formação da opinião pública na província do Ceará, enfatizando como o jornal Libertador foi constituído como órgão oficial da Sociedade Cearense Libertadora e fomentou uma prática jornalística que se distinguiu do padrão dos jornais político-partidários, durante a campanha abolicionista cearense na imprensa, entre 1881 e 1884. A análise de jornais, revistas do Instituto do Ceará (Histórico, Geográfico e Antropológico), livros e dicionários biográficos de época demonstrou como essa folha abolicionista cearense atuou na construção, na discussão e na divulgação do movimento abolicionista dessa província pelo Brasil, fomentando uma nova prática jornalística no Ceará.


Palavras-chave


Abolicionismo; Novo jornalismo; Jornal Libertador;

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

Fontes

Gazeta do Norte. Orgam Liberal. Fortaleza, Ceará (1881).

Libertador. Orgão da Sociedade Cearense Libertadora. Fortaleza, Ceará (1881-1884).

O Cearense. Orgão Liberal. Fortaleza, Ceará (1880-1882).

ROMERO, Silvio. “Resposta do Sr. Silvio Romero”. In: ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS. Discursos Acadêmicos. Tomo I (1897-1919). Rio de Janeiro, 2003.

STUDART, Guilherme. “Os jornaes do Ceará nos primeiros 40 anos (1824-1864)”. In: REVISTA DO INSTITUTO DO CEARÁ. 1° Centenário da Confederação do Equador (1824-1924). Fortaleza, 1924.

STUDART, Guilherme. Catalogo dos jornaes de grande e pequeno formato publicados no Ceará. Fortaleza: Typographia Minerva, 1904.

Bibliografia

ALONSO, Angela. Flores, votos e balas. O movimento abolicionista brasileiro (1868-1888). São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

BARBOSA, Marialva. História cultural da imprensa: Brasil, 1800-1900. Rio de Janeiro: Mauad, 2010.

BHERING, Francisco. A radiotelegraphia no Brasil: elementos históricos. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1914.

BOSI, Alfredo. A dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. Porto Alegre: Zouk, 2007.

CARDOSO, Gleudson Passos. Práticas letradas e a construção do mito civilizador: “Luzes”, seca e abolicionismo em Fortaleza (1873-1904). Fortaleza: Museu do Ceará/SECULT, 2016.

CHARTIER, Roger. A história cultural. Entre práticas e representações. Lisboa: Difel, 1988.

DARNTON, Robert. O beijo de lamourette. Mídia, cultura e revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

FERNANDES, Ana Carla Sabino. A imprensa em pauta: entre as contendas e paixões partidárias dos jornais Cearense, Pedro II e Constituição na segunda metade do século XIX. Dissertação (Mestrado em História Social). Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2004.

GIRÃO, Raimundo. A abolição no Ceará. 3ª Ed. Fortaleza: Secretária de Cultura e Desporto, 1984.

GUIMARÃES, Hugo Vitor. Deputados provinciais e estaduais do Ceará. Assembleias Legislativas (1835-1947). Fortaleza: Editora Jurídica LTDA, 1952.

HOBSBAWM, Eric John. A era do capital (1848-1875). São Paulo: Paz e Terra, 1997.

LUCA, Tania Regina de. “História dos, nos e por meio dos periódicos”. In: Fontes históricas. PINSKI, Carla Bassanezi (Org.). São Paulo: Contexto, 2008.

MACHADO, Humberto Fernandes. Palavras e brados. José do Patrocínio e a imprensa abolicionista no Rio de Janeiro. Niterói, Rio de Janeiro: Editora da UFF, 2014.

MONTENEGRO, Abelardo. Os partidos políticos no Ceará. Fortaleza: Edições Universidade Federal do Ceará, 1980.

MOREL, Marco; BARROS, Mariana Monteiro. Palavra, imagem e poder. O Surgimento da Imprensa no Brasil do Século XIX. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

NOBRE, Geraldo. Introdução à história do jornalismo cearense. Fortaleza: NUDOC-UFC/ Secretária de Cultura do Estado do Ceará/ Arquivo Público do Ceará, 2006.

OLIVEIRA SILVA, Pedro Alberto de. História da escravidão no Ceará. Das origens à extinção. Fortaleza: Instituto do Ceará, 2002.

RAMOS, Ana Flávia Cernic. “A Lei dos Sexagenários nas ‘Cousas Políticas’ da Gazeta de Notícias: os embates acerca da escravidão e da liberdade na imprensa carioca (1884 - 1885)”. In: ENGEL, Magali Gouveia; SOUZA, Flavia Fernandes de; GUERELLUS, Natália de Santanna (Org.). Os intelectuais e a imprensa. Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2015.

ROCHA, Demócrito. “A Imprensa do Ceará”. In: MARTINS FILHO, Antônio; GIRÃO, Raimundo (Org.). O Ceará. 3° Edição. Fortaleza: Editora do Instituto do Ceará, 1966.

SANTOS, Claudia dos. “A Imprensa”. In: MOTTA, Márcia (Org.). Propriedades e disputas: fontes para a história do Oitocentos. Guarapuava/ Niterói: Unicentro/ EDUFF, 2011.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Retrato em branco e negro: jornais, escravos e cidadãos em São Paulo no final do século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.

STUDART, Guilherme. Dicionário Bio-bibliographico Cearense. V. 1. 2. Fortaleza: Typographia Minerva, 1915.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com