A produção de um espaço colonial num país soberano. Extraterritorialidade no Sião

Suzana Guerra

Resumo


Durante o século XIX, o expansionismo europeu estabeleceu na Ásia formas de poder que geraram espaços coloniais em países soberanos. Como alternativa à ocupação efetiva, incidiram sobre a justiça local, traduzindo-se em uma apropriação que levou à convivência de vários sistemas jurídicos em um mesmo território. Essa jurisdição territorial foi atenuada por um regime jurídico excepcional conhecido como extraterritorialidade, e que descreve, no caso do Sião, a condição da lei existente, na qual os estrangeiros estavam isentos da jurisdição local e sujeitos às suas autoridades nacionais, em virtude de tratados. Este artigo pretende ser uma contribuição para os estudos pós-coloniais, multiplicando os conceitos que nos ajudam a pensar as diversas apropriações dos espaços não europeus e que não se reduzem apenas a questões de soberania territorial, mas que comportam dimensões jurídicas, econômicas e culturais.

Palavras-chave


Extraterritorialidade; Sião; Imperialismo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com