Memórias da ausência: trajetórias e experiências de trabalhadores migrantes no oeste do Paraná – Brasil

Gilson Backes

Resumo


Este artigo analisa dimensões do processo de migração e de ocupação da região Oeste do Paraná, apresentando trajetórias e experiências vividas nas dinâmicas socioculturais que se estabeleceram em torno das lavouras de hortelã, nas décadas de 1960 e 1970, especificamente no atual município de Mercedes – Brasil. Pelas trilhas da memória, buscou-se analisar as relações de trabalho, viveres e estranhamentos constituídos em torno dessa atividade praticada por trabalhadores diversos. Nas dimensões relacionais dos deslocamentos, as memórias permitiram apreender uma realidade complexa, sem um sentido homogêneo, na medida em que as narrativas orais, daqueles que permaneceram, evocaram a presença daqueles que se encontram ausentes. Em tais dinâmicas, pelos relatos, os narradores procuraram expressar suas trajetórias, bem como a de “outros”, recriando uma cadeia de episódios e reconstruindo um lugar social de pertença nesse espaço da fronteira.

Palavras-chave


Oeste do Paraná; Memórias; Migração;

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com