La oralidad: tradición ancestral para preservación de la memoria colectiva

Jenny González Muñoz

Resumo


Este artigo fornece uma visão geral do papel da palavra falada presente em todas as civilizações, inclusive como parte dos mitos da criação, instituíndo-se progressivamente com tradição na oralidade, o que aumenta sua importância para os povos ancestrais e também para os contemporâneos sob a sua direção, como um meio de preservar a memória coletiva, que como afirma Maurice Halbwachs, é formada a partir da presença de uma série de memórias partilhadas pelos membros de um mesmo grupo social. Os povos ancestrais, entre eles o azteca, maya e inca assim como aqueles originalmente orais, sustentaram e mantiveram as lembranças de seus acontecimentos históricos na presença dos velhos como guardiões da memória, que através da tradição de contar histórias, mitos e lendas passaram a continuidade de gestão, de geração em geração que ainda hoje existe, no entanto, as novas exigências e a disponibilidade de outros suportes de memoria, a prática da oralidade tem sofrido transformações, mas ainda estabelece-se como um elemento fundamental nas culturas ancestrais.

Palavras-chave


Palavra, oralidade, memória coletiva;

Texto completo:

PDF

Referências


ÁLVAREZ MURO, Alberto. Análisis de la oralidad: una poética del habla cotidiana. Mérida: Universidad de Los Andes. 2001. Disponible en: . Acceso en: 10 feb. 2009.

BOSI, Eclea. Memória e Sociedade: Lembranças de velhos. São Paulo: T.A. Quieroz Editor, 1987: 5-21.

HALBWACHS, Maurice. Les cadres sociaux de la mémoire. Paris : Mouton. 1976.

HOBSBAWM, Eric. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997: 271-316.

LAVANDERO, Juan. (Editor) Uaharaho. Ethos narrativo. Caracas: Edic. Hermanos

Capuchinos, 1992.

LEÓN, Daniel y MOSTACERO Ruddy. Caripe. Historia cotidiana y oralidad. Maturín: Edic. Gobernación del estado Monagas, 1997.

ONG, Walter. Oralidad y escritura. Tecnologías de la palabra. México: Fondo de Cultura Económica, 1987.

PACHECO, Carlos. La comarca oral. Caracas: Ediciones de la Casa de Bello, 1992.

POPOL VUH. In: LITERATURA Maya. Caracas: Biblioteca Ayacucho. 1992, p. 13.

TEDESCO, Italo. Textualidad y significación en la transmisión oral. IN Ruddy Mostacero (org.). Oralidad en la literatura y literatura en la oralidad. Maturín: Ministerio de Educación, 1985, p. 87-104


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com