ALEXANDRE DE GUSMÃO: A IMAGEM MATERNA NO BRASIL COLONIAL

Fábio Falcão Oliveira

Resumo


Este artigo tem como finalidade a percepção da importância da figura materna para o jesuíta Alexandre de Gusmão, na obra Arte de Criar Bem os Filhos na Idade da Puerícia (1689). Alexandre de Gusmão, tendo vivido na Bahia, fundou o Seminário de Belém da Cachoeira, considerado o motor de uma pedagogia. A importância da criação da mãe, a dedicação e o carinho na amamentação são pontos focados pelo autor para mostrar o cuidado da figura materna. Este documento apresenta uma proposta de leitura da Arte de Criar Bem os Filhos que objetiva, além da pedagogia gusmanina, a projeção da figura materna nas terras brasílicas.

Palavras-chave


Figura materna; Criação; Mundo português. Pedagogia;

Texto completo:

PDF

Referências


1 Documentos Primários.

GUSMÃO, Alexandre de. Escola de Belém. Jesus Nascido no presépio. Évora: Oficina da Universidade de Évora, 1678.

____________________. Arte de Crear Bem os Filhos na Idade da Puerícia – Dedicada ao Menino de Belém Iesu Nazareno. Lisboa: Oficina de Miguel Deslan, 1685.

___________________. História do Predestinado Peregrino e seu Irmam Precito, Em a qual debaixo de huma misteriosa Parábola se descreve o sucesso feliz, do que se ha de salvar, & a infeliz sorte do que se ha de condenar, Dedicada ao Peregrino Celestial, S. Francisco de Xavier, Apostolo do Oriente. Évora: Officina da Universidade, 1685.

___________________. Meditações Para Todos os Dias da Semana, Pelo Exercício Das Três Potências da Alma, Conforme Ensina S. Ignácio Fundador Da Companhia de Jesus: Pelo Padre Alexandre de Gusmão, da Mesma Companhia. Lisboa: Officina de Miguel Deslandes, 1689.

___________________. Rosa de Nazareth nas Montanhas de Hebron, a Virgem Nossa Senhora na Companhia de Jesus, Dedicada à mesma Soberana Virgem em sua Gloriosa Assumpção. Lisboa: Na Officina Real Deslandesiana, 1715.

__________________. Arvore da Vida, Jesus Crucificado. Dedicada Á Santíssima Virgem Maria N. S.Ra Dolorosa Ao Pe Da Cruz [Obra Posthuma dada à Estampa Pelo P. Martinho Borges, da mesma Companhia, Procurador Geral da Província do Brasil]. Lisboa: Officina de Bernardo da Costa Carvalho, 1735, p. 297.

2 Livros.

ALGRANTI, Leila Mezan. Honradas e Devotas: mulheres da colônia. Condição Feminina nos conventos e recolhimentos do sudeste do Brasil, 1750-1822. Rio de Janeiro: José Olympio/ Brasília: Ed. da Universidade de Brasília, 1993.

BADINTER, Elisabeth. Um Amor Conquistado: O Mito do Amor Materno. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985, p. 202.

BÍBLIA SAGRADA. Edições Pastoral. São Paulo: Sociedade Bíblica Católica Internacional e Paulus, 1990

BROWN, Dale M. (org.). Civilizações Perdidas: Grécia: Templos, Túmulos e Tesouros. 1a edição, trad. Vera Sílvia Camargo Guarnieri. Rio de Janeiro: Editora Abril Coleções Ltda, 1998.

BUENO, F.S. Dicionário Escolar da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: FAE, 1986, p. 708.

BULFINCH, Thomas. O Livro de ouro da Mitologia/Histórias de Deuses e Heróis. 26a Ed., trad. David Jardim Júnior. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

CONSTITUIÇÕES DA COMPANHIA DE JESUS/Normas complementares. São Paulo: Loyola, 2004.

CUNHA, Antônio Geraldo da. Dicionário Etimológico Nova Fronteira Da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1997.

ELIADE, Mircea. História das Crenças e das Ideias Religiosas: da Idade da Pedra aos mistérios de Elêusis, vol. I. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

FRANCA, Leonel. O Método Pedagógico dos Jesuítas – O Ratio Atque Institutio Studiorum. Rio de Janeiro: AGIR, 1952.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande & Senzala. São Paulo: Editora Recorde, 2001.

GINGRICH, F. Wilbur e DANKER, Frederick W. Léxico do Novo testamento Grego/Português. São Paulo: Vida Nova, 1993.

LABRADOR, C., BERTRÁN-QUERA, M., ESCANCIANO, A. Díez e ESCALERA, J. Mtnez de la. La Ratio Studiorum de los Jesuítas. Madrid; UPCM, 1986.

LEITE, Serafim. História da Companhia de Jesus no Brasil, Tomo V. Lisboa: Livraria Portugália, 1945.

KIRST, Nelson et al. Dicionário Hebraico-Português e Aramaico-Português. São Leopoldo/Petrópolis: Sinodal/Editora Vozes, 2009.

MACEDO, José Rivair. A mulher na Idade Média. São Paulo: Contexto, 1997.

MAGALHÃES, F. Dicionário Latim-Português. São Paulo: Editora Lep S.A., 1960.

STRONG, James. Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 2002.

3 Capítulos de Livros

BERTRÁN-QUERA, Miguel. “Introducción histórica y temática”. LABRADOR, C.,

BERTRÁN-QUERA, M., ESCANCIANO, A. Díez e ESCALERA, J. Mtnez de la. La Ratio Studiorum de los Jesuítas. Madrid; UPCM, 1986.

COSTA, Célio Juvenal. “Educação jesuítica no Império do Século XVI: o colégio e o Ratium Studiorum”. In_: PAIVA, José Maria de, ASSUNÇÃO, Paulo e BITTAR, Maria (Org.). Educação, Histórica e Cultura no Brasil Colônia. São Paulo: Arké, 2007, p. 33.

DEL PRIORE, Mary. “Magia e medicina na Colônia: o corpo feminino”. In_: _______________. História das Mulheres no Brasil. 2a Ed. São Paulo: Contexto/Unesp, 1997, p.78 – 113.

PAIVA, José Maria de. “Religiosidade e cultura brasileira – século XVI”. In_: PAIVA, José Maria de, ASSUNÇÃO, Paulo & BITTAR, Maria, (org.). Educação História e Cultura no Brasil Colônia. São Paulo: Arké, 2007, p. 13.

SANGENIS, Luiz Fernando Conde. “Franciscanos na Educação Brasileira”. In_: STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena Câmara. Histórias e Memórias da Educação no Brasil – Vol. I – Séculos XVI-XVIII. Petrópolis: Vozes, 2004.

4 Artigos

ARCE, Alessandra. “Lina, uma criança exemplar! Friedrich Froebel e a pedagogia dos jardins de infância”. In_: REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO – N° 020. São Paulo: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 2002.

FELISBERTO, Artur. NUMANCIA: Imperium Numinubus in Nomine Domine – mitemologia racional (estudo comparado da nomeclatura, etimologia e fenomenologia mística). Mimeo: 8 de setembro de 2013. Disponível em: http://arturjotaef-numancia.blogspot.com.br/2013/09/heteronimos-de-atena-iv-atena-palas.html. Consultado dia 20 de março de 2014.

FERREIRA JUNIOR, Amarilio. “Os jesuítas na pesquisa educacional”. ________________ (Org.). Em Aberto/Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Brasília: Em Aberto, v. 21, n. 78, 2007, p. 10.

VILELA, Ana Maria Jacó. “História da Psicologia no Brasil: Uma Narrativa por Meio de seu Ensino”. In_: SCIELO/Psicologia: Ciência e Profissão, vol.32 no. spe. Brasília: mimeo, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1414-989320120005&lng=es&nrm=iso. Consultado no dia 20 de Março de 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com