NA FUGA, UMA ESPERANÇA DE LIBERDADE: ESCRAVOS FUGITIVOS NA ALAGOAS PROVINCIAL

Wellington José Gomes da Silva, Gian Carlo de Melo Silva

Resumo


O presente artigo tem por objetivo mostrar alguns traços da escravidão em Alagoas durante o segundo reinado. Em nossa análise, usamos como fontes os anúncios de jornal que notificavam as fugas de escravos ocorridas na década de 1870, em que identificamos as estratégias desenvolvidas para fugir. A fuga foi uma das reações mais frequentes durante o período e Alagoas foi uma localidade marcada pela ação dos fugitivos. Algumas dessas fugas nos revelam uma diversidade, pois, apesar de habitual, essa iniciativa apresentou contornos variados, em que a compreensão do ambiente onde estavam inseridos foi aspecto fundamental para o seu sucesso. A compreensão fornecida pelos escritos de E.P. Thompsom serve de viés analítico para compreendermos os cativos de Alagoas como agentes históricos, donos de suas ações e que exerceram papeis cruciais para o cotidiano escravista na Alagoas provincial.

Palavras-chave


Fuga; Escravidão; Alagoas;

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com