REFLEXÕES SOBRE O IMPACTO DE ACONTECIMENTOS NUM PROCESSO HISTÓRICO: O CASO DA LUTA PELA TERRA MARÃIWATSÉDÉ (1960-2012)

Juliana Cristina da Rosa

Resumo


O caso da luta pela terra Marãiwatsédé é um processo histórico que envolveu índios Xavante, os quais na década de 1960 foram retirados de seu território para a abertura da empresa agropecuária Suiá Missú. Envolveu também os posseiros da Suiá, que invadiram a área remanescente depois de ela ser devolvida para os Xavante em 1992. Logo, este ano se tornou o epicentro de uma série de acontecimentos, uma vez que a devolução da área desencadeou na demarcação da área por meio de laudo antropológico, e também na invasão da área por posseiros e grileiros, incentivados por políticos locais. Vinte anos depois, esses posseiros foram retirados da área para que os Xavante pudessem retomar o domínio sobre Marãiwatsédé. No decorrer dos anos, a luta pela terra Marãiwatsédé foi travada através de batalhas jurídicas, batalhas da memória e batalhas midiáticas. O foco desse artigo é analisar como o fato da retirada dos posseiros da Suiá foi sendo histórica e socialmente construído como um “acontecimento- monstro”, que além de impactar toda a região do Araguaia mato-grossense, ganhou repercussão nacional no ano de 2012, sobretudo através da ação da mídia local que acompanhou e narrou de forma ativa a “desintrusão dos não índios”, interferindo sobre o acontecimento.

Palavras-chave


Luta pela terra Marãiwatsédé; Acontecimento-monstro; Mídia local;

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com