O EXÍLIO TRATADO ENQUANTO FENÔMENO MÚLTIPLO: A EXPERIÊNCIA NA VIDA E OBRA DE PAULO FREIRE

Philippe Chaves Guedon

Resumo


No século XX, o continente americano sofreu as marcas do período autoritário. Diante disso, uma das estratégias repressivas foi a retirada de solo nacional de “potenciais perigos” representados por indivíduos combativos ou críticos aos regimes instalados. No Brasil, um dos expoentes da educação brasileira teve esse destino, Paulo Freire. O presente artigo objetiva reconstituir a trajetória do referido autor no período exilado e, além disso, demonstrar as inflexões causadas pelo trauma em sua vida e obra. Para isso, utiliza-se de entrevistas do próprio autor, de familiares e também de referências ao período em seus livros. De modo geral, busca-se demonstrar que o exílio é uma experiência coletiva, vivida também pelos familiares, e produz efeitos substanciais nas formas de ver o mundo, tanto em aspectos pessoais como no exercício profissional.

Palavras-chave


Exílio; Paulo Freire; ditaduras militares

Texto completo:

PDF

Referências


Livros

FREIRE, Paulo e FAUNDEZ, Antonio. Por uma Pedagogia da Pergunta. Rio e Janeiro: Paz e

Terra, 1985

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança. Rio e Janeiro: Paz e Terra, 1997.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo; GUIMARÃES, Sérgio. Aprendendo com a própria história. Rio de Janeiro:

Paz e Terra, 1987.

GADOTTI, Moacir; ABRÃO, Paulo (org.). Paulo Freire: anistiado político brasileiro. Editora

e Livraria Instituto Paulo Freire, Brasília/São Paulo, 2012.

GILMAN, Claudia. Entre la pluma y el fusil. Debates y dilemas del escritor revolucionario en

América Latina. Buenos Aires: Siglo XXI, 2003.

RAMA, Ángel. “La riesgosa navegación del escritor exiliado”, La riesgosa navegación del

escritor exiliado. Montevideo: Arca, 1995.

RAMA, Ángel. Diario: 1974-1983. Montevideo: Trilce, 2008.

SAID, Edward. Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras,

p.59.

Capítulos de livros

FREIRE, Elza. Elza Freire, setembro de 1977. In: COSTA, Albertina de Oliveira et al. Memó-

rias das Mulheres do Exílio. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1982. p. 200-206.

ROLLEMBERG, Denise. “Memórias no exílio, memórias do exílio”. FERREIRA, Jorge;

AARÃO REIS, Daniel. (Orgs.). As Esquerdas no Brasil. Revolução e democracia (1964...).

Vol. 3. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007

UCHÔA CAVALCANTI, Pedro Celso; RAMOS, Jovelino (orgs.). Memórias do exílio: Brasil

— (1964-19??) − De muitos caminhos. São Paulo: Livraria Livramento, 1976. v.1, p.9. Entre

os depoentes, Herbert de Souza, Marcio Moreira Alves, José Maria Rabêlo, Anina de Carvalho

e Abdias do Nascimento.

Artigos

BOMENY, Helena e JOSIOWICZ, Alejandra. O exílio de Darcy Ribeiro e Ángel Rama:

intelectuais, cultura e política na América Latina. Paper apresentado no 40o Encontro Anual da

ANPOCS, 2016.

CRUZ, Fábio Lucas da. A história e as memórias do exílio brasileiro. Revista Catarinense de

História, Florianópolis, n.20, p.115-137, 2012.

MARQUES, Teresa Cristina Schneider Marques; BRINGEL, Breno. O exílio como ativismo

transnacional na América Latina: padrões de ação política e redes (in)formais. Paper

apresentado no 10o Encontro da Associação Brasileira de Ciência Política (ABCP), Belo

Horizonte, 2016.

RONIGER, Luis. Exílio Massivo, Inclusão e Exclusão Política no Século XX. DADOS –

Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, vol. 53, no 1, pp. 91 a 123, 2010.

Entrevistas

FREIRE, Lutgardes. Entrevista realizada pela UNIFREIRE e o Instituto Paulo Freire.

Disponível em vídeo em: https://www.youtube.com/watch?v=xYyAZeMNDYw

FREIRE, Paulo. Entrevista dada ao Jornal dos Professores em 1991 e reeditada pelo Sindicato

dos Professores de São Paulo em 2000. Acesso em: http://revistagiz.sinprosp.org.br/?p=1749

FREIRE, Paulo. Entrevista realizada por Claudius Ceccon e Miguel Paiva, publicada na

Pasquim, no 462. Acesso disponível em: http://www.justica.gov.br/central-de-

conteudo/anistia/anexos/paulofreire_anistiado-1.pdf. Páginas 74-95.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com