A PRÁTICA DO TRABALHO EM PUXIRÕES EM FAXINAIS DE REBOUÇAS - PR - UMA ANÁLISE CONCEITUAL

Wellerson Emanuel Ferreira

Resumo


O presente artigo se propõe realizar uma análise conceitual do termo “puxirão” e suas diferentes variações, que, em síntese, correspondem às práticas de trabalho grupal/comunal realizadas nas comunidades faxinalenses do Salto e de Marmeleiro dos Soares, do município de Rebouças, Paraná. Buscaremos, ao longo deste artigo, demonstrar as diferenças e as semelhanças desse conceito nas comunidades acima citadas, bem como daremos destaque às variações na grafia e na nomenclatura (como “puxirão” que se refere a um grupo de trabalhadores com maior número de participantes e “pixirão” quando se trata de um grupo em menor escala), exemplificaremos a variedade terminológica em âmbito nacional e os sentidos e a significância conceituais em diferentes regiões.


Palavras-chave


puxirão/mutirão; faxinal; conceitos.

Texto completo:

PDF

Referências


AYROSA, Plínio. Têrmos Tupis no Português do Brasil. Coleção do Departamento de

Cultura, XIII, n.01, São Paulo, 1937.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O trabalho como festa: algumas imagens e palavras sobre o

trabalho camponês acompanhado de canto e festa. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

CALDEIRA, Clovis. Mutirão formas de ajuda mútua no meio rural. São Paulo: Companhia

Editora Nacional, 1956.

CAMPIGOTO, José Adilçon; SOCHODOLAK, Hélio (Org.). Estudos em história cultural

na região sul do Paraná. Guarapuava: Editora da UNICENTRO, 2008.

FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína. Apresentação. In: FERREIRA, Marieta

de Moraes; AMADO, Janaína (Org.). Usos e abusos da história oral. 3ª ed. Rio de Janeiro:

FGV, 2000.

GALVÃO, Helio. O mutirão no Nordeste. Rio de Janeiro: Serviço de informação

Agrícola/Documentário da vida rural, n. 15, 1959.

HALL, Stuart. Identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A,

KOSELLECK, Reinhart. História dos conceitos e história social. In: ______________. Futuro

Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Editora Contraponte/

Editora PUC-RIO, 2006. pp. 97-118.

KOSELLECK, Reinhart. Uma História dos conceitos: problemas teóricos e práticos. Trad. e

Ed. Manoel Luiz Salgado Guimarães. Estudos Históricos, v. 05, n. 10, p. 134-146, 1992.

RAMOS, Arthur. Introdução à Antropologia Brasileira. Casa do Estudante do Brasil v. 01.

Rio de Janeiro: Coleção Estudos Brasileiros, 1943.

RÜSEN, Jörn. Reconstrução do passado. In: _____________. Teoria da História II: Os

princípios da pesquisa histórica. Brasília: Ed do UNB, 2007.

Revista Ars Historica, ISSN 2178-244X, nº 20, jul./dez. 2020, p. 215-234 | www.ars.historia.ufrj.br

SABOURIN, Eric. Marcel Mauss: da dádiva à questão da reciprocidade. Revista Brasileira de

Ciências Sociais [online], v. 23, n. 66., p. 131-138, nov. 2008. Disponível em:

. Acesso em: 20 out. 2020.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa

qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

VEYNE, Paul. História Conceitual. In: LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre. História: Novos

Problemas. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976. pp. 64-88.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Ars Historica - Instituto de História – Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Largo de São Francisco de Paula, no 1, Sala 205 – Centro, Rio de Janeiro – Brasil, CEP 30051-070.

Redes sociais:

  • https://www.facebook.com/RevistaArsHistorica
  • https://www.instagram.com/revistaarshistorica/

Contato:

  • revistaarshistorica@gmail.com