Intransigência, falácia e ilusão: a reação conservadora contra a previdência e a seguridade social no Brasil

Ignacio Godinho Delgado

Resumo


O artigo analisa a reforma da previdência impulsionada pelo presidente Bolsonaro. Seu primeiro propósito é identificar os elementos comuns à retórica conservadora e reacionária que acompanha, no Ocidente e no Brasil, todas as medidas que envolveram o progresso social e a expansão da cidadania, agora dirigida contra a seguridade social brasileira, instituída na Carta de 1988. Também  são apresentados dados e argumentos produzidos pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (ANFIP), principalmente, e autores que têm se dedicado ao tema, que afirmam a falácia do diagnóstico sobre a crise da previdência. Além disso, aponta que tal diagnóstico não considera outras possibilidades de lidar com os possíveis dilemas atuariais da previdência social, por estar eivado de um certo malthusianismo, que negligencia o impacto do desenvolvimento tecnológico sobre o mercado de trabalho e o nível de renda global da economia.


Palavras-chave


Previdência; Seguridade Social; Brasil; Retórica Conservadora

Texto completo:

PDF

Referências


ACCENTURE Impactos Socioeconômicos do fortalecimento do mercado de capitais no Brasil – Relatório Final. Accenture, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2YHlN. Acesso em 26 abr. 2019.

AMSDEN, Alice. A Ascensão do “Resto” – o desafio ao ocidente de economias com industrialização tardia. São Paulo: Editora da UNESP. 2009.

ANFIP. Análise da Seguridade Social em 2017. Brasília: ANFIP, 2018.

BENDIX, R. Construção Nacional e Cidadania. São Paulo: EDUSP, 1996

CARVALHO, Solon, SILVA, Carlos, FRANCÊS, Carlos, PUTY, Cláudio, GENTIL, Denise, SILVA, Marcelino. A necessidade do cálculo de dispersão, para projeções sobre o comportamento de sistemas previdenciários. ? In: Carlos Alberto Puty e a Denise Lobato Gentil. A Previdência Social em 2060: As inconsistências do modelo de projeção atuarial do governo brasileiro. Brasília: ANFIP/DIEESE; Plataforma Política Social, 2017.

CASAGRANDE, Cássio. A Reforma Trabalhista e o ‘sonho americano’ - Uma grande ignorância sobre o direito e o sistema de justiça nos EUA. In: Jota. Disponível em https://bit.ly/2ZZikNC. Acesso em 26 abr. 2019.

DE CONTI, B. M.. “Os fundos brasileiros de previdência complementar: segmentações analíticas e estudos preliminares sobre a alocação de seus recursos”. In: Claudio Hamilton Matos dos Santos. (Org.). Características estruturais do sistema financeiro brasileiro : um registro da reflexão do Ipea no biênio 2014-2015. Brasília: IPEA, 2016, v. 1, p. 343-374.

DELGADO, I. G (2015) Política industrial na China, na Índia e no Brasil: legados, dilemas de coordenação e perspectivas. Texto para Discussão Nº 2059. Brasília: IPEA

DELGADO, I. G. CONDÉ, E.S., ESTHER, A.B., SALLES, H.M. Cenários da Diversidade – variedades de capitalismo e política industrial nos EUA, Alemanha, Espanha, Coréia, Argentina, México e Brasil (1998-2008). Dados. Rio de Janeiro, 2010.

DELGADO, I. G. Previdência Social e Mercado no Brasil – a presença empresarial na trajetória da política social brasileira. São Paulo: LTr., 2001.

DELGADO, I.G. “Cidadania, Nação e Desenvolvimento: anotações esquemáticas a propósito de um Brasil golpeado, que renuncia a si mesmo”. Revista Escuta, 2016. Disponível em https://revistaescuta.wordpress.com/2016/08/25/cidadania-nacao-e-desenvolvimento-anotacoes-esquematicas-a-proposito-de-um-brasil-golpeado-que-renuncia-a-si-mesmo/

EATWELL, J. A anatomia da "crise" da Previdência. Rio de Janeiro, Econômica, vol. 4, 2002.

FAGNANI, Eduardo. “O ‘déficit’ da Previdência e a posição dos juristas. In Texto para Discussão 305. Campinas. Instituto de Economia, 2017.

FAZIO, Luciano. A Previdência dos Servidores Civis da União: um diagnóstico. São Paulo: DIEESE, 2018.

FINELLO, Mariana, LEMOS, Pedro de Medeiros, FEIJÓ, Carmem. “Financeirização, empresas não financeiras e o ciclo econômico recente da economia brasileira”. ANPEC, 2017. Disponível em https://www.anpec.org.br/sul/2017/submissao/files_I/i2-af45046d33e99e21282b1854208bbbd3.pdf Acesso em 15 jun. 2018.

G1. “Reforma da previdência dos militares: entenda a proposta ponto a ponto”. G1, 2019. Disponível em https://glo.bo/2MZ38fG. Acesso em 28 abr. 2019

GENTIL, Denise, ARAÚJO, Eliane, PUTY, Cláudio, SILVA, Carlos. “Uma análise não convencional para o financiamento da Previdência Social no Brasil: aspectos teóricos e evidências empíricas?” In: Carlos Alberto Puty e a Denise Lobato Gentil. A Previdência Social em 2060: As inconsistências do modelo de projeção atuarial do governo brasileiro. Brasília: ANFIP/DIEESE; Plataforma Política Social, 2017.

GHANI, Alan. Entenda por que a Reforma da Previdência aumentará a renda e o emprego. Disponível em Infomoney, 2019. Disponível em https://bit.ly/31AC1LV. Acesso em 27 abr. 2019.

HALL, Peter e SOSKICE, David. Varieties of Capitalism. Oxford: Oxford University Press, 2001.

HIRSCHMAN, Albert O. A retórica da intransigência: perversidade, futilidade, ameaça. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

MARSHALL, T.H. Cidadania, Classe Social e Status. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MESA–LAGO, Carmelo. "A reforma estrutural dos benefícios de seguridade social na América Latina: modelos, características, resultados e lições", in Vera. S. P. Coelho (org.). A reforma da previdência social na América Latina. São Paulo: Editora FGV., 2003.

POLANYI, K. A Grande Transformação. Rio de Janeiro: Campus, 1980

PORTUGUESE.PEOPLE.CN Gasto da China em P&D atinge 2,1% do PIB em 2016. Disponível em https://bit.ly/2H4vPnM. Acesso em 30 abr. 2019.

PRADO, Eduardo. A Ilusão Americana. Brasília: Edições do Senado Federal, 2003.

PUTY, Carlo Alberto, FRANCÊS, Carlo Renato, CARVALHO, Sólon, SILVA DA Marcelino, ALVES DA SILVA, Carlos. “Quão acuradas são as projeções financeiras e atuariais do Regime Geral de Previdência Social?” In: Carlos Alberto Puty e a Denise Lobato Gentil. A Previdência Social em 2060: As inconsistências do modelo de projeção atuarial do governo brasileiro. Brasília: ANFIP/DIEESE; Plataforma Política Social, 2017.

PUTY, Carlos Alberto; GENTIL, Denise. “Introdução”. In: Carlos Alberto Puty e a Denise Lobato Gentil. A Previdência Social em 2060: As inconsistências do modelo de projeção atuarial do governo brasileiro. Brasília: ANFIP/DIEESE; Plataforma Política Social, 2017.

SCHWARZER, H. “Algumas anotações sobre equívocos conceituais na discussão das reformas previdenciárias na América Latina”. In; Debates. Nº 19 – Reforma Previdenciária – Vetores do Debate Contemporâneo. São Paulo: Fundação Konrad Adenauer-Stiftung/Centro de Estudos, 1999.

TESOURO NACIONAL. Aspectos Fiscais da Previdência Social. Brasília: 2017. Disponível em: https://bit.ly/2KxlNhd. Acesso em 13 jan. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.