Garotas da colônia: aprender e trabalhar na infância rural

Ana Padawer

Resumo


Neste trabalho, analiso, a partir de posições regulacionistas a respeito do trabalho infantil,
as participações das meninas nas atividades agrícolas em San Ignacio (Missões, Argentina). A
partir de referências a um trabalho de campo etnográico iniciado em 2009, considero como
sua incorporação nos fazeres cotidianos dos sítios pode entender-se como experiências
formativas, isto é, como parte de um processo de aquisição progressiva de autonomia para
o próprio sustento, onde as distinções étnicas, de gênero, de idade e posição social deinem
certas atividades e saberes como próprios das garotas do campo. Esses conhecimentos sobre o
mundo são os que lhes permitem entender, mas também transformar imperceptivelmente e em
seu fazer quotidiano, o mundo que as rodeia.
Palavras-chave: identiicações, infância, gênero, aprendizagem, agricultura familiar.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 DESIDADES - Revista Eletrônica de Divulgação Científica da Infância e Juventude

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

NIPIAC / Instituto de Psicologia - Universidade Federal do Rio de Janeiro
Av. Pasteur, 250 -- Urca, Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902
+55 (21) 2295-3208 / +55 (21) 3839-5328