Infância e saberes quilombolas: participação das crianças e cultura lúdica no quilombo de Ariquipá – MA

Raylina Maila Coelho Silva, Hellen Silva Carneiro Ferreira, Layna Kariny Freire Madeira, Rosyane de Moraes Martins Dutra

Resumo


O artigo objetiva discutir a contação de histórias como atividade de valorização cultural e de resistência em comunidades quilombolas no estado do Maranhão, Brasil, por se contrapor às formas de silenciamento cultural, opondo-se à homogeneização das culturas. Pesquisar a participação da infância no processo de construção dos saberes quilombolas é possibilitar a constituição de territórios, partindo da cultura infantil produzida no seio das transformações nos quilombos e em seu entorno. A metodologia utilizada, por meio da observação participante e rodas de contação de histórias com as crianças da comunidade de Ariquipá – MA, favoreceu a escuta das crianças e a participação ativa no processo de construção cultural do quilombo maranhense. Com os resultados desta pesquisa, pretende-se valorizar a atividade de contação de histórias, no âmbito do quilombo, como enaltecimento dos modos de vida cultural, considerando as crianças como participantes do processo de construção da história desses lugares e sujeitos produtores de cultura infantil.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.54948/desidades.v0i32.46295

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902