Grandes demais para brincar? Brincadeiras, lugares e territórios lúdico-interacionais na cultura lúdica adolescente

Fabricio de Souza, Bianca Becker, Ilka Dias Bichara

Resumo


A brincadeira é um conjunto de comportamentos adaptados, altamente complexo e multifacetado, que já fazia parte do repertório dos primeiros grupos humanos de caçadores e coletores. É importante conhecer o contexto de ocorrência desses comportamentos e, consequentemente, as concepções de “espaço”, “lugar” e “território” onde as relações lúdicas acontecem. O presente artigo teve como objetivo realizar um estudo exploratório a respeito das concepções sobre o brincar, bem como sobre os lugares de brincadeira e a constituição dos territórios lúdico-interacionais presentes nas práticas lúdicas dos adolescentes e seus companheiros de brincadeira. Os participantes deste estudo forneceram dados a respeito de sua percepção da importância das brincadeiras para o estabelecimento e a manutenção das relações de amizade, do desenvolvimento físico e cognitivo.  A diversão e a descontração foram indicadas como características das interações lúdicas na escola, na casa dos amigos e na própria casa. Discutiu-se a significância do contexto de interação lúdica, formado por espaços e por pessoas. 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.54948/desidades.v0i32.46372

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


NIPIAC – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa para a Infância e Adolescência Contemporâneas
Universidade Federal do Rio de Janeiro - Campus da Praia Vermelha
Av. Pasteur, 250 – Urca, Prédio da Decania do CFCH
Rio de Janeiro - RJ, Brasil | CEP 22.290-902