Imagem para capa

Treze contos para estar sozinho. Solidão e outras companhias, de Márwio Câmara

Licia Rebelo de Oliveira Matos

Resumo


O livro de estreia de Márwio Câmara, Solidão e outras companhias (2017), incorpora o tema tão resolutamente à estrutura que se divide em partes intituladas “Nós”, “Vós” e “Sós”. Nesta análise, tem sublinhada a melancolia a perpassar os treze contos da coletânea, que, mesmo escritos predominantemente em primeira pessoa, são povoados de diferentes personagens, com predominância das femininas. Entre elas, encontram-se pessoas como Clarice Lispector e Ella Fitzgerald, além da fictícia travesti suicida de nome Madame Bovary. A um só tempo cultas e despretensiosas, as narrativas parecem vocacionadas para atenuar o sentimento que as unifica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.35520/flbc.2017.v9n18a18054

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 A revista Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea utiliza Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


INDEXADORES E BASES DE DADOS

Google Scholar  Diadroim Base   DRJI  Livre     PKP Index ErihPlus Latindex