Imagem para capa

Catatau, de Paulo Leminski: leitura e ultrapassagem

Antonio Ricardo Ribeiro Cidade

Resumo


Este ensaio tem por objetivo a interpretação de uma das mais arrojadas obras da literatura brasileira contemporânea. Começamos localizando-a historicamente na esteira da revolução deflagrada pelas vanguardas europeias no início do século XX. Em seguida, levantamos seus antecedentes literários. Pelo seu caráter radical de experimentação com a linguagem, por sua ruptura com as categorias tradicionais do romance, o texto se apresenta como uma floresta de signos. A leitura de Catatau revela uma narrativa extremamente elaborada, em que aparentemente nada faz sentido. Contudo, submetida a uma segunda leitura, deixa ver uma miríade de referências e estratégias de diálogo ficcional que estimulam o leitor a produzir imagens portadoras de sentido. Exerce um fascínio progressivo sobre o leitor, enredando-o inelutavelmente no vasto jogo de interpretações que suscita A teoria sobre o fictício e o imaginário, de Wolfgang Iser, nos permitiu refazer os caminhos e procedimentos que o autor usou ao compor a obra. Assim, foi possível dividir nosso ensaio em três momentos: a seleção dos campos referenciais retirados do mundo real e inseridos no texto, a combinação intratextual desses campos, e o desnudamento da ficcionalidade do texto como estratégia metaficcional que faculta ao leitor reagir ao que ele mesmo criou na imaginação.


Palavras-chave


Paulo Lemisnki; metaficção; literatura contemporânea

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Oswald de. “Manifesto da poesia pau-brasil” e “Manifesto antropófago”. Disponível em: http://www.ufrgs.br/cdrom/oandrade/oandrade.pdf. Acesso em 24 jul. 2017.

BACHELARD, Gaston. O ar e os sonhos – ensaio sobre a imaginação do movimento. Tradução de Antônio de Pádua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BASTOS, Dau. “Viva a vanguarda: literatura brasileira contemporânea à luz da ruptura”. Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea, v. 1, nº 1, jun. 2009, pp. 33-51. Disponível em: http://www.forumdeliteratura.com.br/ensaios/25-ensaios-1-edicao/98-viva-a-vanguarda-literatura-brasileira-contemporanea-a-luz-da-ruptura. Acesso em 13 mai. 2017.

CAMPOS, Haroldo de. A arte no horizonte do provável. São Paulo: Perspectiva, 1975.

______. “Leminskíada barrocodélica”. Folha de S. Paulo, Caderno Letras, 2 de setembro de 1989, p. G4.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método – traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Tradução de Flávio Paulo Meurer. Petrópolis: Vozes, 1998.

ISER, Wolfgang. The implied reader. Baltimore e Londres: The Johns Hopkins University Press, 1978.

______. O fictício e o imaginário – perspectivas de uma antropologia literária. Tradução de Johannes Kretschmer. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

LEMINSKI, Paulo. Catatau; um romance-ideia. São Paulo: Iluminuras, 2014.

MATOS, Gregório de. Poemas escolhidos. Seleção, introdução e notas de José Miguel Wisnik. São Paulo: Cultrix, 1975.

ROSA, João Guimarães. Tutameia (Terceiras estórias). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

SOUZA, Ronaldes de Melo e. “Introdução à poética da ironia”. Linha de Pesquisa, nº 1, 2000, pp. 27-48.




DOI: https://doi.org/10.35520/flbc.2018.v10n20a22858

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 A revista Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea utiliza Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


INDEXADORES E BASES DE DADOS

Google Scholar  Diadroim Base   DRJI  Livre     PKP Index ErihPlus Latindex