Imagem para capa

O zero, o vazio e a positiva serenidade da poesia. A serenidade do zero, de Alexandra Vieira de Almeida

Antonio Aílton Santos Silva

Resumo


Antonio Aílton Santos Silva mostra a habilidade da poeta carioca Alexandra Vieira de Almeida em prismatizar o misterioso número, ao convocar para sua poematização um vasto campo de insinuações, que vão do vazio ao Tao, e ensinar a “tranquilidade de um zen-zero”, a quietude do “silêncio-zero” e a força pacificadora da circularidade magnética do zero.


Palavras-chave


poesia contemporânea; vazio e poesia; temporalidade poética

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.35520/flbc.2019.v11n22a30697

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 A revista Fórum de Literatura Brasileira Contemporânea utiliza Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


INDEXADORES E BASES DE DADOS

Google Scholar  Diadroim Base   DRJI  Livre     PKP Index ErihPlus Latindex